quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O NORDESTE,QUINTA-FEIRA, 10 DE JULHO DE 1952

MANOEL DE OLIVEIRA PAIVA (XXI)
O assalto das idéias
J. Paiva
Augusto Comte (Isidore AUGUSTE Marie François
Xavier COMTE. (1798-1857), filósofo  francês, fundador
da Sociologia e do Positivismo. (Wikipédia)
"Brado de Alarme", cujo autor, Soares de Azevedo,
é citado no texto de J. Paiva que ora publicamos.
(Imagem: Mercado Livre).
Padre Gonçalo Inácio Albuquerque Mororó, um
dos heróis martirizados em praça pública, em Fortaleza,
em 1825. (Foto: google).
Manoel VIRIATO CORREIA Baima Lago Filho(1884, Maranhão-
1967, Rio de Janeiro), escritor, citado no texto biográfico publicado abaixo)
VIRIATO CORREIA, vestido com seu "FARDÃO" de membro da
Academia Brasileira de Letras(Foto: Wikipédia).
Imagem da capa de um dos livros da imensa bibliografia do escritor
 maranhense VIRIATO CORRÊA.(Imagem: Mercado Livre).
Obs.: O nome do autor, em livros, é grifado CORRÊA e não
CORREIA, como nas biografias e outros escritos.
A Praça dos Mártires, também conhecida como Passeio Público, é
a mais antiga praça de Fortaleza-Ceará. Além de uma bela vista,para
o mar, possui grandes árvores centenárias, como o "famoso baobá"....
...que aí é apresentado, em foto " menos" antiga, que a anterior...
O "famoso baobá", em em foto  a cores.... atual...
...bancos de madeira e ferro por toda a alameda central...em foto antiga...
...a mesma Praça dos Mártires, ou Passeio Público, em foto atual..à noite....
...foto antiga, registrada em sentido inverso, da foto abaixo...
Foto atual, do Passeio Público, ou Praça dos Mártires,  da alameda
da frente, tirada do poente para o nascente...
Portão principal de entrada, para a Praça dos Mártires, mais conhecido
por PASSEIO PÚBLICO, como se vê pela placa da prefeitura....
( Fotos: google e Arquivo Nirez) (Fonte: Wikipédia)
O Visconde de Cairu ( José da Silva Lisboa, 1756-1835),
economista, historiador, jurista, publicista, e político brasileiro,
ativo na época da Independência do Brasil(citado no texto
biográfico, publicado nesta postagem) .(Wikipédia).

Desenho mostrando membros da Assembléia Constituinte de 1823.
(Wikipédia)
 
NELSON de Sousa CARNEIRO (1910- 1996), político,
nascido em Salvador (Bahia), o mais importante líder divorcista
do Brasil conseguiu  a implantação da lei em 1977.. Desde 1951,
Carneiro levantava essa bandeira, só que havia uma enorme resistência
da sociedade, da Igreja e dos políticos que temiam desagradar aos 
seus eleitores..." (Fonte: site: Memorial da Fama).


  

Não pareça alheio ao nosso ensaio biográfico este capítulo. Reconstruir uma vida, principalmente se ela se processou com uma intelectualidade e um sentimento correspondente, importa em passar uma vista sôbre doutrinas e princípios. Houve quem fizesse a Manoel de Oliveira Paiva descer do Ceticismo ao Ateísmo e precisamos portanto, acompanhar a marcha das idéias que alteraram um pouco seu espírito.

Tem sido a doutrina católica o alvo principal do racionalismo. O Catolicismo é a única forma orgânica do Cristianismo, aliás a Religião singular que as três características perfeitas de estática e dinâmica, de Fé e Vida, tão bem definidas por Augusto Comte: Dogma, Moral e Culto. Antes porém da questão de princípios, tratemos da questão da liberdade da Igreja Católica, que no Brasil decidiu e decidirá da vida ou da morte da nacionalidade.

Soares de Azevedo, em "Brado de Alarme" (1922) e E. Vilhena de Moraes, em "O Patriotismo e o Clero no Brasil" (1925), narraram os fatos heróicos dos sacerdotes católicos, nos movimentos de auto-determinação do nosso Povo, salientando-se o Clero do Nordeste, particularmente no Ceará. A 30 de abril de 1825, na Praça dos Mártires, em Fortaleza, era executado o padre  Gonçalo Inácio de Albuquerque Mororó, com uma calma e firmeza de abnegado, objeto único de um espetáculo que absorveu nesse dia toda a atenção da pequena capital da Província, episódio que Viriato Correia descreve significativamente.

Ao processar-se a Independência, quando a Igreja levava a culpa das paixões da época, eram nossas mais legítimas e radicadas crenças imoladas frequentemente nas assembléias. Cayru, na Constituição de 1823 onde se assentavam 15 sacerdotes  da escola de Pombal, conformando-se com o vago e tendencioso deísmo de "Ente Supremo" e da "Sabedoria Divina", foi quem corajosamente propôs e votou de joelhos, o preâmbulo da Constituição "Em nome da Santíssima Trindade".  O padre Manoel Rodrigues da Costa, um dos heróis da Inconfidência discursando no próprio edifício da "Cadeia Velha", onde havia 14 anos estivera preso a ferros, antes do degredo de 10 anos num convento de Portugal, bradava aflito: "Demais sr. Presidente para quem legislamos nós? Para brasileiros, isto é, católicos romanos. De quem recebemos procuração? De brasileiros, isto é, católicos romanos. E para que? Para decretarmos que nós, que eles, que nossos filhos, nossa posteridade, temos direito a apostatar da verdadeira religião de nossos mártires? Não, sr Presidente, não. Tal poder não nos foi outorgado em nossas procurações, e nem podia ser". 
Em 1952, com a penúltima escala da atomização da Sociedade - o Divórcio -  devendo ser a última coletivação da propriedade, quase que ia sendo necessário que algum deputado apostrofasse desse modo a Câmara Federal.
Por J. Paiva.
...continua...


#######

NOTAS:
1- Em todos os capítulos do texto biográfico, aqui
publicado, temos mantido a forma ortográfica do autor, escrito em 1952;

2- Temos antecipado, ao texto de cada capítulo, várias imagens, no sentido de oferecer uma melhor e maior conhecimento sobre a época e  algumas personalidades citadas;

3- Neste capítulo, J. Paiva cita o DIVÓRCIO. Para quem conviveu com o biógrafo, sabe o quanto ele "abominava" a ideia de, um dia, a Câmara Federal aprovar  a lei proposta. Ironicamente, a referida lei teve a sua homologação sete dias depois de seu falecimento. Acredito que meu pai teve uma tristeza a menos, em sua vida, não assistindo à aprovação do Divórcio no Brasil;


4- Nos dois próximos capítulos, permanece o sub-título "O assalto das idéias". Espero você!

#######

Volto, na próxima semana... Um forte abraço!


68 comentários:

  1. Oi,Lucia,maravilhosa postagem de fotos! Que linda árvore que permanece tão forte ao longo do tempo...Fortaleza sabe preservar o seu patrimônio histórico conservando valores de beleza.Com relação ao tema tratado hoje reflito sobre a questão da dinâmica da sociedade; a história nos ensina que ela sempre se transforma e nós podemos observar bem isso quando as forças conservadoras
    em ação tentam colocar freios nas idías de mudança.Mas isso é natural...uma das teorias do estudo sociológico coloca a mudança social como resultado da síntese resultante do embate do conservadorismo diante das forças progressistas e desse jogo de forças contrárias a sociedade evolui sem se destruir, ou seja, as duas forças são necessárias assim se mantém a estrutura social.Nós que já vivemos muitas mudanças pudemos observar e vivenciar transformações importantes ao longo de nossas vidas, de idéias e de comportamentos e hoje, nós que já fomos os revolucionários hoje somos o esteio da sua manutenção.O novo sempre vem e com relação ao passado nós obsrvamos com olhos do futuro que outros nos verão..Não podemos fazer nenhum tipo de julgamento de valor porque cada momento é o seu momento.Desculpe-me a verborragia maa é´o que faço quando me entusiasmo .Obrigada.Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando pensei em publicar esse trabalho de meu pai e iniciei a busca por imagens, que correspondessem ao texto, não julguei que fosse, de certa forma, fácil de encontrar. Tenho me surpreendido com tantas descobertas maravilhosas. O "mundo" da internet, é mesmo fascinante! O baobá do Passeio Público é lindo, famoso, bem preservado e muito fotografado.

      É muito interessante, como os conflitos que surgem, nessa dinâmica do novo com o conservador gera, como que, um novo mundo, daí a importância do embate.Seu comentário me deixa maravilhada, Guaraciaba... fico a imaginar você conversando com o meu pai, Paivinha...Certamente, essa "verborragia" iria enveredar por ricos caminhos, dentro da Sociologia, Antropologia,Filosofia...Eu tenho o "entusiasmo" mas falta-me um maior conhecimento na área, para uma análise tão precisa. Venha sempre, assim, é um prazer.

      Obrigada, minha querida.Forte abraço.

      Excluir
  2. Muito lindo mais esse capítulo e te acompanhar é um prazer. Lindo as fotos antigas mescladas com as atuais e o baobá é imponente, maravilhoso,não! beijos,chica e lindo fdsemana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este baobá além de lindo tem uma bela história. Esta mescla nos dão a dimensão das mudanças no cenário.
      Obrigada, chica, feliz final de semana.
      Beijinhos,
      da Lúcia

      Excluir
  3. Querida amiga Lúcia
    Que bem me soube seu abraço!
    Quando estamos mais fragilizadas a amizade tem um outro sabor, não é verdade?
    Muito obrigada por estar presente.

    Li sua postagem, gostei muito, e as fotos estão muito bem dispostas, alternando as antigas com as actuais. Muito bom!

    Um óptimo fim de semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho recebido seus e-mails, mas preferi e levar o meu abraço na sua casa mais "próxima", amiga. Tenho-lhe grande amizade e sei bem por que está a passar...

      Obrigada, por vir aqui.
      Um bom final de semana.
      Beijos, da Lúcia

      Excluir
  4. Lúcia...
    Como sempre estas crónicas prendem-me a "esse passado" já tão remoto, relativamente ao qual considero poder-se retirar tanta informação importante e interessante sobre a época em apreço, mas que a Lúcia, e muito bem, através das fotos antigas e actuais que aqui apresenta, estabelece um paralelismo, do passado com o presente, que eu acho encantador.
    Um abraço Lúcia
    Tenha um óptimo fim de semana...!!!

    Albertina Granja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este passado é muito rico em histórias importantes. Tenho, realmente, muito empenho em trazê-lo à tona e busco orná-lo com as belas imagens, alternando antigas e atuais, para que melhor se avalie as transformações provocadas pelo tempo, pelo homem...
      Feliz final de semana, Albertina, com um forte abraço,
      da Lúcia

      Excluir
  5. A história forte como uma velha arvore adorada por quem a estima.
    Somos feitos do passado e este é um dos momentos.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bela comparação, Manuel Luis, há uma bela poesia, em suas palavras. Obrigada, amigo.
      Beijo

      Excluir
  6. Amiga!!!
    É com grande prazer que deixei uma homenagem para si no meu blog (IN)PERCEPÇÕES.

    Espero que goste, pois você merece pelo seu belo trabalho.
    Um grande abraço e meu carinho!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Malu,

      Atendi, correndo, ao seu chamado e a emoção tomou conta de mim...logo, fui teclando os agradecimentos. Que bela homenagem amiga. Até já compartilhei no FB.

      Obrigada, amiga. Gostei, e muito!
      Meu carinhoso abraço!

      Excluir
  7. Este trabalho é muito bom Lucia e fico encantado com as ilustrações.O poder paralelo do clero fica bem esclarecido.
    Esta trajetoria do divorcio deu pano para manga mesmo e creio que esta tristeza ele teria mesmo.
    Um belo fim de semana a voce e vamos seguindo amiga.
    Grato sempre pela partilha desta reedição da historia.
    Parabens sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho conseguido lindas e importantes imagens para ilustrar o texto biográfico, o que esclarece bem os fatos da época, com seus ilustres personagens...
      Lembro-me muito bem do período que antecedeu à aprovação do divórcio e a "revolta" de meu pai, não aceitando.
      Obrigada, meu amigo Toninho, é grande o prazer em tê-lo aqui. Forte abraço!

      Excluir
  8. Llevo un tiempo bastante liado y no tengo mucha ocasión de corresponder a las visitas de mis amigos blogueros. En todo caso por aquí me tienes. Estupendas siempre las cosas que nos dejas.

    Saludos y un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Antônio. Entendo perfeitamente, a sua demora em vir aqui. Imagino você elaborando suas belas poesias e tendo que visitar seus inúmeros seguidores.
      Obrigada, pelos elogios.
      Carinhoso abraço,

      Excluir
  9. Muito legal este post, adoro saber das historias dos locais e seus habitantes poucas pessoas o fazem com maestria e gostei muito do seu trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito agradecida, Patrícia. Gosto imenso de resgatar as histórias da minha gente.É grande prazer,recebê-la.
      Um abraço.

      Excluir
  10. Fico sempre encantada com estes textos e ilustrações! Maravilhosa partilha esta da reedição da historia.
    Bom fim de semana.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reeditar essa história, para mim, é de grande importância. É como que um homenagem ao meu pai
      e à minha terra. Partilhá-la, é de grande prazer.
      Beijos, Lilá(s)!

      Excluir
  11. Fotografias muito bonitas e interessantes que aqui nos mostra Lúcia, gostei especialmente das do "famoso baobá", árvore centenária e muito linda... gostei muito, tanto das antigas, como das mais recentes, todas elas são preciosas!
    Um belo trabalho aqui exposto, com documentos históricos antigos, muito bem apresentados e explicados... virei outras vezes, com mais tempo, para apreciar melhor... Parabéns!
    Obrigada, Lúcia, pelo carinho...
    Um beijinho com amizade e BS :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando se relata histórias reais, não é difícil encontrar imagens que as representem,Como as do Passeio Público e o seu belo e !famoso baobá".
      Obrigada, Camila, venha sempre que e dará muito prazer.
      Meu beijo carinhoso.

      Excluir
  12. Oi Lúcia,
    que iniciativa maravilhosa esta a de aliar história-literatura-arte-geografia num painel ilustrado e esclarecedor de detalhes.
    Amei as fotos.
    Bjkas e bom domingo.
    Calu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Possuo esse texto biográfico que, há muito tempo desejava publicar em livo. Como não consegui,achei por bem partilhar neste espaço. Não poderia mantê-lo no "baú", dada a sua importância para a historiografia cearense. Ilustrado, dá mais encanto, esclarece mais!
      Bom domingo, Calu.
      Beijos,
      da Lúcia

      Excluir
  13. Domingo e semana maravilhosos como é maravilhoso viver!
    Beijos...podes dar,agora tirei o aparelho...ksksksksksks...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viver é maravilhoso! Que o domingo lhe seja alegre e a semana muito pródiga. Beijinhos, bem dados...ksksksksk..

      Excluir
  14. Oi Lúcia,
    Demorei um pouco pra chegar, mas aqui estou pra acompanhar esta saga que faz parte de minhas leituras preferidas.
    Como sempre, há um capricho esmerado na escolha das fotos para complementar a tão bela e marcante narrativa de J. Paiva, tanto neste como nos capítulos que antecedem.
    Xêro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Estela, a demora faz parte dessa vida atribulada de exímia bonequeira rsrs....entendo,amiga.
      Muito obrigada, pelos carinhosos elogios. A narrativa de Seo Paivinha está na reta final...faltam 3 capítulos...já estou planejando o que virá depois...

      Xêro

      Excluir
  15. Bom dia Lúcia, é sempre um prazer vir te visitar e inteirar sobre fatos históricos... bjs e tenha uma semana iluminada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Lo, a sua visita é de imenso prazer.
      Obrigada, boa semana, beijos!

      Excluir
  16. Bom vir e ler cada capítulo. Bom que seu pai não chegou a ver a aprovação do divórcio, pois era algo que não desejava que ocorresse.
    Beijos.
    Élys.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. À cada capítulo, espero você, o que é um grande prazer.
      Meu pai temia, a a aprovação do Divórcio, teria sofrido, com o resultado...
      Beijos,
      da Lúcia

      Excluir
  17. quando refletimos sobre a nossa história familiar e afetiva
    e simultaneamente a História de um país,

    encontramos laços, ligações, semelhanças com a nossa própria história

    tem sido um prazer acompanhá-la, Lúcia!

    um abraço



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As ligações e semelhanças, com as nossas histórias, são inúmeras. Obrigada, manuela, por estar aqui.
      Um forte abraço.

      Excluir
  18. Oi, Lucia!

    É interessante e envolvente a sua forma de nos dar a conhecer os fatos. Temos o relato, o texto, e as imagens antigas e atuais, além do pensamento de personagens envolvidos no contexto. Muito bom. Estes escritos, são dignos de um livro, sem dúvidas.

    Grande abraço, amiga
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Socorro, fico-lhe grata pelos comentários.
      Você analisa de cátedra, especialista que é, na arte da escrita...Obrigada, pelos elogios.

      Forte abraço,
      da Lúcia

      Excluir
  19. Oi, Lúcia! Ótima ideia de colocar fotos de um mesmo local em épocas diversas! Fortaleza deve ser linda. Preciso conhecer. Gostei muito do baobá, que eu só conhecia do livro do Pequeno Príncipe. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho descoberto maravilhas, em fotografias antigas. Tenho que e "policiar" para não chegar ao exagero. Na hora da escolha é que difícil saber qual a melhor.
      O baobá, é o xodó do fortalezense, é mesmo belo.
      Obrigada, Carla,beijinhos...

      Excluir
  20. Registros históricos preciosos. Muito bom ler-te.

    ResponderExcluir
  21. Particularmente atraente a feliz a contraposição de fotografias antigas com as mais recentes. Se as mais afastadaas no tempo nos trazem uma certa nostalgia, as de hoje dão uma certa alegria.
    Depois, toda a história que hoje nos traz, Lúcia, não é livre de controvérsia: tantas coisas aconteceram "em nome de Deus"!
    Mais uma lição de história, de família que estou adorando.
    Admiro sempre e muito esta pesquisa aturada, Lúcia!
    Muitos e muitos parabéns
    Aquele terno abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que análise tão bonita você faz Manu do que ando "arrumando" no usos de fotografias. Encontro tantas e tão belas, antigas e atuais, que às vezes fico "baratinada" para decidir sobre as que devo usar...
      A Igreja Católica é controversa, constata-se na história.

      Obrigada, amiga.
      Carinhos beijo,
      da Lúcia

      Excluir
  22. Minha querida Lúcia,

    Belíssimas as fotos que postaste do ontem e do hoje...ajudam-nos a conhecer e apreciar cada vez mais a tua cidade.
    Quanto às questões religiosas, são e serão sempre motivos de controvérsias,tanto aqui quanto acolá...em todas as épocas houve o despotismo das religiões a perturbar e submeter os povos.

    Muito envolvente a história por teu pai contada e suas opiniões também.
    Gosto sempre de vir aqui e beber desta fonte de tanta sabedoria...enriquece-me o espírito.

    Bjssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  23. É tão bom, mostrar a cidade tão amada! não importa se ontem ou hoje. Você bem sabe, amiga...As questões religiosas foram muitas, ontem e sempre, atingindo a muita gente.

    Meu pai se esmerou nas pesquisa, contextualizando bem os acontecimentos. Obrigada, Leninha, volte sempre.
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  24. Belo texto, Lúcia... e belas fotos! Bom resto de semana, amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Árabe. Já posso dizer feliz final de semana.
      Um abraço!

      Excluir
  25. Olá, Lúcia.
    Estou te seguindo, vim até aqui (? não sei como, juro, acho q alguém me chamou...rs
    Eu amo o NE! É isso!
    A pesquisa tá demais! Feita c muito capricho, és uma abençoada. Vou vir sempre te ler; adorei esse post, obrigada por partilhares com os amigos da Blogosfera.
    Fica c Deus*...Sou como você, penso q a Igreja tem influência na vida da gente como a politica e espero nunca saber de aprovarem o aborto, aí será o Fim!
    Sigo com prazer.
    Do Nordeste só conheço Recife. Amo vocês *nordestinos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vinda, Mery. Chegamos em tantos lugares, por razões desconhecidas. Gosto, de certos acasos.
      Venha conhecer mais o Nordeste, há lugares incríveis em todos os estados. Recife, é linda!
      Estou curiosa, para saber de onde você é! Vou pesquisar!!! Obrigada, pela visita e declaração de amor.
      Um beijo!

      Excluir
  26. Já, numa anterior visita, disse que tenho pena de não estar mais próximo destes magníficos pedaços de história que nos vai deixando.
    Leio com o interesse de quem quer conhecer, mas fico perdido nos meandros do desconhecimento.
    Magnifico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Visito muitos espaços de portugueses, dentre os quais o seu, e procuro não me "perder"...O seu, é excelente!
      Volte sempre, Manuel...um abraço.

      Excluir
  27. Olá Lucia! Agora, infelizmente, já tenho mais tempo para as minhas visitas. Digo, infelizmente, porque não é agradável ver os meus pais partirem, apesar de saber que eles gostam de morar em Guaratinguetá. A idade já é bastante e fica sempre o receio de não os voltar a pegar no aeroporto. Mas...não vale a pena pensar nisso...
    Li com muita atenção este teu post e adorei ver as mudanças operadas na nossa língua ao longo dos anos, não só no Correia, mas também nas " Histórias da história" Agora seria " as estórias na História" , não? Bem...como lingua viva que é, tem de mudar. Um beijinho, amiga e obrigada por teres comparecido sempre no Começar de Novo, apesar da minha ausência. Parabéns também pelas belas fotos. Teria ainda mais para dizer, mas, como deves calcular, tenho imensas visitas a fazer e não posso demorar muito. Para a próxima comentarei todos os aspectos do texto. Até...
    Emília

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho lido seus últimos comentários, nos nossos amigos comuns e estou a par do retornos de seus pais ao Brasil, onde moram. Eu também fiquei muitos anos longe dos meus.
      Mas não deve pensar nisso, já que é o desejo deles.
      Sempre que posso, vou ao Começar de novo, que adoro.
      Obrigada, amiga, por vir comentar.
      Até, Emília, um abraço, da Lúcia

      Excluir
  28. Continuo "preso" ás narrativas Históricas que vens produzindo.
    São uma maravilha, Amiga.


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ter você "preso" à Cadeirinha, apreciando as narrativas, é um imenso prazer para mim, SOL amigo.
      Beijos

      Excluir
  29. .



    O que faria você se o amor
    da sua vida saísse de casa
    bem cedo, trabalhasse como
    um louco, amasse você como
    poucos, mas quisesse para si o
    melhor da festa?

    Saiba mais detalhes na minha
    postagem de hoje.

    Beijos,

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fui lá, silvioafonso,e lá deixei meu comentário.
      Beijos,
      Lúcia

      Excluir
  30. ..e porque mesa farta convida a mais visitas, aqui estou de novo nesta hora do chá para te ler mais uma vez! Quem sabe um dia com a nossa Leninha?! Caso para pensar!
    Um grande abraço e bjis, querida Lúcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A fartura faz parte da nossa cultura, o que é muito bom...Já estou planejando um encontro com Leninha, você e mais alguns...Pode ser em Minas, Lisboa, Fortaleza: faremos um sorteio, mais democrático...
      Obrigada, minha amiga, carinhoso abraço + beijinhos...

      Excluir
  31. Você ilustra lindamente suas postagens. Elas são ricas em conteúdo e sempre é um prazer acompanhar essa trajetória. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São tantas as informações, da época, que considero interessante, ilustrar todo o roteiro....
      Obrigada, Marilene. Beijos!

      Excluir
  32. OI LUCIA!
    UMA NARRATIVA DE FATOS ANTIGOS QUE NOS APAIXONAM E QUE, DIVIDES CONOSCO, SEMPRE DE FORMA FÁCIL E RICA COM TUAS ILUSTRAÇÕES.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raramente publico temas atuais. Quando criei a Cadeirinha de Arruar foi com esse propósito de resgatar a nossa história. Obrigada, Lani, um abraço.

      Excluir
  33. Respeito as ideias de seu pai, mas o divórcio foi uma boa lei, separar o q de fato já está separado. Embora os católicos não aceitem, mas estamos caminhando para uma forma diferente de relacionamento. Não concordo com a libertinagem q estamos vivendo hoje, mas refazer a vida e procurar ser feliz, penso ser importante para as pessoas serem felizes.
    Amei as fotos e os paralelos entre o q eram e o q está. Muita paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Denise, para um católico como o meu pai, que nasceu no final do século XIX e só "respirava" os chamados "dogmas" da igreja, a posição não poderia ser outra. Concordo plenamente com você. Vivemos em outra época.
      O texto de meu pai já tem 60 anos. Os valores são outros, felizmente para alguns, infelizmente para outros.
      Obrigada, Denise. Muita paz, meu abraço!

      Excluir
  34. Olá Lúcia,
    Continuas fazendo um belo trabalho aqui ao divulgar um pouco da história em nosso país, através das idéias e vivencias de seus antepassados e das pessoas que construíram todas esses pensamentos e ações.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Campani. Faço esse trabalho com muita dedicação. Gosto de buscar no passado referências para viver o presente e imaginar o futuro.
      Beijos!

      Excluir
  35. Se eu apareço...logo EXISTO....então se prepare para ganhar um beijo enorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrme "dieu"...rsrsrsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só agora recebi esse beijo...que bom! Obrigada, beijinhos, menina linda!

      Excluir