quinta-feira, 13 de setembro de 2012

O NORDESTE, SEXTA-FEIRA, 11 DE JULHO DE 1952

MANOEL DE OLIVEIRA PAIVA (XXII)
O assalto das idéias
J. Paiva
:
Coroação de Dom Pedro II - Lhe impõe a coroa D. Romualdo de
Seixas. (Fonte: blog  Ministrare et  dare animan suam).
Dom ROMUALDO Antônio  de SEIXAS (1787, Cametá-PA - 1860,
Salvador-BA), Arcebispo da Bahia, citado por J. Paiva no texto biográfico de
 Manoel de Oliveira Paiva, ora publicado aqui em capítulos. (Imagem- Wikipédia).
Igreja de São João Batista, em Cametá-Pará, cidade natal de 
Dom Romualdo Seixas, que foi Arcebispo de Salvador-Bahia.
Área portuária de Cametá-Pará. (Esta imagem e a de cima, são
do site Cametá - Terra dos Notáveis).
Padre DIOGO Antônio FEIJÓ - Regente Feijó 
(1784,São Paulo- 1843, São Paulo), criador do
"projeto que abolia o celibato eclesiástico", como
diz J.Paiva , na ensaio biográfico de Oliveira Paiva.
(Foto: Wikipédia).
Teatro Municipal de São Paulo ...(Foto: site Folha de São Paulo).
Estação da Luz - São Paulo....(Foto: site Folha de São Paulo).
Foto atual da Estação da Luz, em São Pulo, que desde 2007 abriga 
o Museu da Língua Portuguesa .( Wikipédia)
JOAQUIM Aurélio Barreto NABUCO de Araújo (1849, RECIFE-
1910, Washington), foi político, diplomata, jurista e jornalista, formado
pela Faculdade de Direito do Recife, é também citado...(Fonte: Wikipédia).
Antiga Faculdade de Direto do Recife, que hoje pertence à
Universidade Federal de de Pernambuco. (Wikipédia)
Basílica e CONVENTO Nossa Senhora do Carmo do Recife.
(site:PERNAMBUCO. COM -Foto de Helder Tavares).
Parte superior do altar mor da Basílica de N. S. do
Carmo do Recife (Wikipédia).
Pesquisando este livro na internet, constatamos muitas referências
à obra do Cons. Dr. Liberato Barroso,  " A Instrução Pública no
Brasil", citada por J. Paiva no texto biográfico que ora publicamos
aqui, em capítulos...(Imagem; Mercado Livre)
Vista da Praça de São Pedro, vista da cúpula de Michelangelo-
Patrimônio Mundial- Unesco.  "A Questão Romana se encerrou 
com a criação do VATICANO, com o estabelecimento do Tratado 
de Latrão, durante o governo de BENITO MUSSOLINE"...
(Fonte: Wikipédia)
Alceu Amoroso Lima  (1893-1983), nasceu no Rio de
 Janeiro e faleceu em Petópolis, onde residia. Foi crítico
literário, professor, pensador, escritor e lider católico.
Como crítico e jornalista, usava o pseudônimo Tristão
de Ataide. É citado por J. Paiva... (Wikipédia)
MUSEU IMPERIAL , em Petrópolis, RJ, que já foi residência da
Família Imperial. (Wikipédia)
Dom Pedro II e a Princesa Isabel, nos jardins do palácio que hoje
abriga o Museu Imperial, em Petrópolis.(Foto: site Cultura e Conhecimento).
Farias Brito (1862, São Benedito-CE- 1917,
Rio de Janeiro), escritor e filósofo...(Citado por J.Paiva).
Casa onde nasceu o filósofo Farias Brito, em São Benedito.
Casa onde nasceu o filósofo Farias Brito, no município de 
São Benedito, a 315 km de Fortaleza, que foi restaurada e,
lamentavelmente, alterada...nos detalhes...
(Foto: site São Benedito-Prefeitura)
São Benedito, é um grande produtor de flores, no Brasil...(Wikipédia).
No município de São Benedito, no Ceará, há produção de
rosas, SEM ESPINHOS, para exportação e consumo interno,
.(Fonte: site Terra).
João CAPISTRANO DE ABREU (1853, MARANGUAPE- 1927, 
Rio de Janeiro), historiador e jurista. Citado no capítulo de hoje. (Wikipédia).
Praça CAPISTRANO DE ABREU, em Maranguape-Ceará, cidade
 serrana, distante 24 km de Fortaleza. Homenagem, prestada ao ilustre 
  filho, com  estátua e nome, d a praça....(Foto: Diário do Nordeste).
...MARANGUAPE...na Região Metropolitana de FORTALEZA...
...distante 25 km  da capital cearense...(foto: google)...





Mais adiante, Dom Romualdo Antônio de Seixas, Arcebispo da Bahia, defendeu na Câmara o caráter sacerdotal contra o projeto do padre Diogo Antônio Feijó que abolia o celibato eclesiástico. Tão insopitável , apesar de disfarçada, era a mania sectária de intromissão na seara da Igreja Católica, tutora nata da nacionalidade desde a descoberta que a Joaquim Nabuco de Araújo tornou-se um dever de honra justificar sua medida provisória de proibir que as Ordens Religiosas recebessem, até segundo aviso, Noviços, demonstrando com documentos, até mesmo a negação de um pedido em contrário do Visconde do Rio Branco em favor de uma jovem a ele recomendada, "que o espírito que o animava não era de hostilidade às instituições monásticas do país, mas verdadeiro e sincero espírito de reforma", pendente de sua Concordata, já anteriormente tratada com o Papa Pio IX, e que no entanto os seus sucessores no Ministério protelaram indefinidamente, só achado fácil a Missão Penêdo, quando da Questão Religiosa, afim de poder ser humilhado o Episcopado.

O nosso insigne conterrâneo Cons. Dr. José Liberato Barroso, na sua marcante apesar de antiga obra "A Instrução Pública no Brasil"(1867), aliás adotado o naquele tempo revolucionário e anti-católico lema de Cavour "A Igreja livre, no Estado livre", advogava a plena autonomia do Poder Espiritual, afirmando no seu Discurso de Abertura de uma das Cadeiras da Faculdade de Direito do Recife, a 16 de março de 1865, sua Fé Católica, desta forma concisa e bela, na unidade da Família, simbolizada na autonomia paterna; a unidade da Nação, simbolizada na autoridade do Chefe de Estado; a unidade da Igreja, da associação religiosa, simbolizada no Poder Supremo do Sucessor de São Pedro: são as três verdades eternas em que se baseiam as instituições humanas. Ignoramos, porém, como se externou posteriormente na Conferência sobre "O Espírito do Cristianismo", pronunciada, em 1873, na sede do Grande Oriente do Brasil, a qual vem citada em preciosa obra : "O Bispo de Olinda", publicada pelo dr. Antônio Manoel dos Reis, em 1878, entre mais quatro de outras notabilidades.

Mas as idéias marchavam, emparelhando a coação da liberdade moral da Igreja, a própria locomoção física de dois Bispos, com o combate da Ciência contra a Fé. O Positivismo e o Modernismo foram duas correntes agnósticas que medraram então no Brasil, como escrevia J. Pereira Sampaio (Bruno) em "O Basil Mental" (1865), acariciando a "preguiça cerebral" e o "impressionismo meridional da nova geração culta brasileira".

Ainda outros "ismos" se seguiram, sendo hoje,todos eles, como um autêntico saco de gatos num diapasão babélico das mais díspares formas da afirmação e da negação...

No artigo "Modernismo Intencional", publicado em "Estudos" (4ª série), Tristão de Athaide, com o seu admirável poder de síntese, classificava em três os movimentos intelectuais do Ceará no último século, os quais ele discriminou assim, acentuando fases cíclicas decenais : "movimento filosófico" (1870), "movimento político" (1880) e "movimento literário" (1890) ; todos os três, no entanto, por ele considerados como "contra-espiritualistas", exceto a figura de Farias Brito, precursor do espiritualismo moderno e causa talvez inconsciente do movimento de renovação católica brasileira, entre os intelectuais, criado por Jackson de Figueiredo, com o nome de "Centro Dom Vital".

O primeiro depoimento da fase de "1870" foi escrito pelo insigne historiador cearense Capistrano de Abreu em setembro de 1878, como prefácio ao livro "Crítica e Literatura" de R.A. da Rocha Lima. Este jovem, falecido a 25 de julho anterior, aos 23 anos, fora uma vítima cedo imolada, pelo físico ao seu todo doentio, e, por sua poderosa mas insatisfeita mentalidade, às idéias novas que lhe estiolaram a Fé Católica em vez de robustecê-lo pela confrontação e contraste, entre si, dos sistemas que lhe eram oferecidos, enchendo seu esquema indeciso de vida mental desde a terrível visão referida pelo prefaciador Capistrano de Abreu, sobre seu próprio futuro, no retiro forçado de Jacarecanga, onde, doente, fora restabelecer-se, de volta de Recife, hospedado alí no Convento do Carmo, cuja Biblioteca frequentara. 
Por J. Paiva
...continua... 

()()()()()()

NOTAS:

1- Desde o primeiro capítulo, mantivemos a forma ortográfica do texto original de J. Paiva, escrito e publicado em 1952, no jornal O NORDESTE, de Fortaleza, e que ora publicamos neste espaço;

2- Temos antecipado, à digitação do texto, imagens seguidas de legendas, para que o leitor visualize  locais e pessoas que são referenciadas no texto biográfico, para uma melhor contextualização, no espaço e época;

3- O próximo capítulo, XXIII, ainda terá, como sub-título, "O assalto da idéias". Os dois últimos capítulos, o XXIVe o XXV , têm o sub-titulo " O romancista e o maestro". Continue acompanhando, o que muito agradeço...

()()()()()()()

Voltarei em uma semana......................Um abraço!!!

76 comentários:

  1. Querida fizeste uma importante e interessante revisão histórica.

    Beijos e boa noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Venho fazendo, há algum tempo, esta revisão...É do que
      mais gosto, Carla Fernanda.
      Obrigada, querida.
      Beijinhos!

      Excluir
  2. Estive na praça de S. Pedro e amei! Uma bonita 6ª feira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já estive lá, com o marido e a sogra, em 1966. É linda!
      Bom final de semana, Elisabete. Beijos!

      Excluir
  3. Lindo tudo e sempre te admiro pelo trabalho de tanta pesquisa pra elabaração desse trabalho..LINDO ESFORÇO ! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica, obrigada. Felizmente, tenho tido facilidades na pesquisa...julguei que ia "penar". Raramente, não encontro o que busco. Beijos!

      Excluir
  4. Qualidade, introspecção e conhecimento é o que recebo a cada leitura em seu blog. Parabéns, Lúcia!
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Célia. Um item dos citados, já me deixariam feliz. Faço o máximo para corresponder à minha própria expectativa.
      Beijos,
      da Lúcia

      Excluir
  5. "preguiça cerebral" é ótimo e revelador de nossa tupiniquim constituição!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu pai, além de grande leitor sabia ser bom crítico e "sarcástico"...
      Obrigada, por vir e comentar. Um abraço!

      Excluir
  6. Oi,Lúcia...aqui estamos nós,Gosto de sua postagem porque ela me leva a pensar.Leio duas vezes, a primeira para conhecer o conteúdo e apreciar as fotos, asegunda para refletir e fazer as conexões neurais(rs.) e poder comentar.Bem, muitos pensamentos
    me ocorreram e vou colocar aqui alguns;primeiro pensei como a formação de uma pessoa perpassa pela maneira como ela executa o seutrabalho;a sua formação pedagógica ,por exemplo, é visível e até pensei que seria uma ótima forma de trabalhar o texto em sala de aula,pois todos os assuntos que afloram são passíveis de pesquisa e enriqueceriam muito um trabalho de grupo e um seminário (só não sei em que nivel poderia se feito, talvez na universidade ou numa boa classe do segundo grau?);Em segundo lugar a colocação dos personagens, o cenário, e próprio texto lembram a experiência do teatro e em terceiro lugar o belo trabalho de equipe entre você na frente de um trabalho de resgate, seu pai, com a leitura de um passado afetivo vinculada
    a uma análise crítica e fazendo parte da equipe o próprio Poeta com sua história de vida.Muitos outros pensamentos...mas já me estendi demais.Deixei um adendo ao seu comentário sobre o sabiá lá no meu espaço.Obrigada pelos comentários.Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanta disposição, Guaraciaba. Deixa-me contente e envaidecida seus profundos comentários. Procuro não "interferir" muito nos escritos de meu pai...daí o distanciamento que faço das ilustrações para o texto.
      Nos primeiros capítulos, fui inserindo as imagens.Creio que assim como passei a compor a postagem, ficou melhor.

      Que bom, que a minha formação, vem "à tona" nos meu trabalho. Em sala de aula (que há muito deixei) fazia trabalhos de grupo. Interessante é que, a unidade que eu mais gostava de desenvolver em grupo, era "História da Educação Brasileira", dentro disciplina Estrutura e Funcionamento do Ensino (nos cursos de licenciatura da UNI-Rio). Gostaria de ter tido formação em História.
      O fato de eu ter tido experiência em teatro, foi providencial para a sala de aula e agora, quando elaboro essas postagens. O mérito do resultado, é de toda a "equipe" que participou do que ora publico.
      Como sempre, perfeita, a sua análise. Obrigada!
      Bom final de semana, com meu abraço.

      Excluir
  7. Querida Lúcia, como é bom aprender com você.
    Que aula fantástica!
    Muito obrigada querida por mais essa.
    Um beijo em seu coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não ensino, apenas compartilho o que gosto, que tem significados para mim e possa interessar a tantos...
      Obrigada, Maria Teresa.
      Meu beijo carinhoso.

      Excluir
  8. Oi, Lúcia!

    Foi impossível não pensar em você no dia 8 deste mês. Estive no Museu Imperial de Petrópolis, onde vi uma cadeira de arruá pela primeira vez. Antes só conhecia de pinturas. Pobres escravos! Aquilo devia pesar horrores.

    Suas postagens continuam excelentes. A de hoje me fez querer conhecer Maranguape.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carla, que legal!Conheço, aquela cadeirinha de arruar, estive muitas vezes no Museu Imperial de Petrópolis, levando familiares e amigos que vinham à minha casa, quando eu morava no Rio (foram 25 anos...)
      Caso tenha um tempinho, leia as 3 primeiras postagens desse blog, em fevereiro de 2011, principalmente "Uma homenagem à Ana Luz". Dou meu "parecer" (contra) sobre ser carregada por escravos..Era muito peso e humilhante...

      Maranguape é mesmo linda, clima ameno de serra...foi o "berço natal", também, de Chico Anysio (o humorista).
      Obrigada, beijos!

      Excluir
  9. Olá Lúcia.....
    Quantos lugares lindos, com história, que aqui são apresentados!!! É um trabalho de pesquisa imenso e ao mesmo tempo fantástico....
    Tenho muita curiosidade em conhecer o Palácio Imperial...., mas infelizmente, de todas as vezes que tenho visitado o Rio de Janeiro, nunca tive oportunidade de ir até Petrópolis....
    Tenha um bom fim de semana....
    Um abraço
    Albertina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Albertina querida, é um prazer tê-la aqui. Obrigada, por tantos elogios.Fico envaidecida!
      Não deixe de visitar o Museu Imperial, é parte de Portugal no Brasil. A cidade de Petrópolis é linda.
      Um bom final de semana. Um abraço, da Lúcia.

      Excluir
  10. Olá Lúcia!
    Que bom ter vindo visitar o seu espaço! Gostei de ler a história do Brasil, de ver as fotos de parte de um país imenso a que estaremos sempre ligados por diversos laços...
    Esta é uma forma de ir conhecendo um pouco do Brasil.
    Um grande abraço de Portugal.
    Maria Emília

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Emília, que prazer a sua vinda aqui...mais uma amizade portuguesa, às quais tenho grande apreço, pelos laços que nos unem e pelo amor que tenho a Portugal, até pela minha ascendência familiar.
      Volte sempre.
      O carinho brasileiro,
      da Lúcia

      Excluir
  11. Tanta cultura. Tanto que eu tenho para aprender. Beijinhos. Gosto muito do blogue

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom tê-la aqui, Maria da Fonte, obrigada!
      Devo-lhe visitas, será já! Um beijo, da Lúcia...

      Excluir
  12. Ora aí está um sítio onde se aprende! Vou passar a visitar com frequência.
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trago um "bom bocado" de homens e fatos históricos, espero estar contribuindo positivamente, para o aprendizado...Obrigada, zeparafuso. Um abraço!

      Excluir
  13. Lucia
    Outro dia estava procurando algo numa enciclopedia. Na escola onde estou trabalhando ainda existem e queria mostrar para os alunos e vi um nome de um seu parente , a autobiografia dele. Me deu vontade de xerocar enviar para voce, mas nao tive o raciocinio de guardar onde era.
    Uma hora eu encontro novamente
    Um abraço de sua amiga Monica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Moniquinha. Fiquei curiosa, para saber quem é esse parente. Quando encontrar, anote. Talvez seja biografia e não autobiografia.
      Obrigada, amiga. Um abraço, da Lúcia.

      Excluir
  14. Mais um pouco de história daqueles que se deram e construíram uma nação e que...«da lei da morte se foram libertando»

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que mais gosto de fazer, Coelho, é trazer essa gente que contribuiu para a construção da nação. Todos se libertam,"da lei da morte..." é verdade.
      Obrigada, por vir. Um abraço.

      Excluir
  15. Da aula de hoje levo o desejo de
    conhecer a greja de São João Batista, em Cametá-Pará,
    que linda!


    Obrigada!


    [contém 1 beijo]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A igreja é belíssima, também gostaria de conhecer.
      Obrigada, Margoh. Um beijo!

      Excluir
  16. Penso que comentei errado "ou disse coisas" que não estavam de acordo com o texto, te peço muitas desculpas, é assim às vezes falta-nos mais leitura e calma para entender tudo o que postam aqui na Blogosfera*
    Uma ótima tarde de domingo pra ti, Pazzz! Muita Paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vi nada de errado, em seu comentário.O prazer de tê-la aqui, comentando, dá-me enorme satisfação, Mery.
      Volte sempre. Muita Paz!

      Excluir
  17. Ficaremos aguardando...

    Um bom resto de domingo, rrrss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, São. Volte sempre.
      Uma semana muito feliz, pra você e os seus.
      Beijo!

      Excluir
  18. Oi, Lúcia, pois é, não sabia essa do Padre Diogo Feijó! Um projeto que casou com meu texto. Ou meu texto casou com suas idéias, mais fácil rsrs. Mas e daí, gostaria de saber como ficou o projeto dele...

    Ótimo ter passado aqui no 'arquivo'!!
    Beijão
    Tais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Soube quando li pela primeira vez esse ensaio de meu pai. Claro que fui "investigar" mais. Descobri que Feijó, apresentou esse projeto à Assembléia Geral em 1827 e só desistiu em 1838 quando publicou uma declaração de fidelidade às normas da Igreja Católica (fonte: site: Almanack Paulistano).
      Taís, digitando " Diogo Feijo e o projeto do celibato" no google surgirão muitas matérias sobre o tema ( a quem interessar possa rsrsrs...)

      Obrigada, boa semana, um beijo,
      da Lúcia.

      Excluir
  19. O q vc narra, são fatos históricos não comentados, pelo menos na região em q moro e q são muito curiosos. Muita paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos desses fatos, Denise, só há pouco tomei conhecimento. Pouco se aprende na escola. A leitura é nos traz informações tão curiosas.
      Um abraço, muita paz!

      Excluir
  20. eu conheço o museu imperial de Petrópolis

    e assim com uma ligação, na nossa História comum, dá gosto ler

    D. Pedro II foi o último rei do império, não foi?

    um abraço, Lúcia

    ResponderExcluir
  21. rei, português, imperador do Brasil!

    rei de um império é uma contradição...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lugar comum": ir ao Rio(Petrópolis) e não conhecer o Museu Imperial, é como ir à Roma e não ir ao Vaticano"....ainda mais para uma lusitana rsrs...
      Quanto a ser ei ou imperador, há diferença: o rei governa o próprio povo, o imperador é soberano de outros povos.O termo "reino" sempre conduz a ideia de um poder legitimamente constituído, ao passo que o termo "império" traz consigo a conotação de um governo estabelecido pela força.

      No caso do Brasil, após a Independência(1822) D.Pedro I que a proclamou, tornou-se o primeiro imperador, passando o Império, por hereditariedade, a D.Pedro II. Ainda existe, a família imperial no Brasil (herdeiros), em Petrópolis (terra de Pedro),lutando pela volta da Monarquia.

      Um beijo, Manu!

      Excluir
  22. Minha querida Lúcia,

    E o projeto do ínsigne Regente Feijó, não logrou êxito e a castidade continua a ser uma exigência da Igreja em relação aos seus padres.Um celibato muitas vezes causador de mais males que bem.
    A tua galeria de fotos está cada vez mais rica e me encanto com a primorosa pesquisa que empreendes.

    Bjssssss,amiga,

    Leninha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja a resposta que deixei sobre o Regente Feijó, aí acima, para a Taís Luso.
      Minha galeria de fotos, tenho encontrado com certa facilidades neste munto maravilhoso que é a internet. É muito raro, o que encontro...
      Obrigada, querida Leninha.
      Um beijo, cheio de amizade,
      da lúcia

      Excluir
  23. Oi Lúcia,
    Que beleza de fotos!
    Entre outras, como é bonita a Igreja de São Joao Batista, em Cametá-Pará! e a antiga Faculdade de Direito do Recife, que me lembra a "minha" UFRRJ" onde me graduei em Engenharia Química!
    Não me canso de admirar o modo como J.Paiva escreve e descreve...
    "...como um autêntico saco de gatos num diapasão babélico das mais díspares formas da afirmação e da negação..."
    Xêro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estela querida, que bom você aqui!
      É um encanto essa igreja de Cametá. Não conheço o Pará, tenho muita vontade. Que me espere!!!!Irei um dia!!!!
      Lembra mesmo a UFRRJ,salvo engano é em Campo Grande.
      O J.Paiva escrevia e descrevia lindamente, com um rico linguajar de pessoa que lia muito.Aí está o grande !segredo": muita leitura e conhecimento. O que falta, hoje em dia aos nossos estudantes...Obrigada, Estela. Esta frase destacada, é um verdadeiro primor.

      Xêro

      Excluir
  24. Haverá algumas coisa que nos traga tantas recordações como as fotografias?

    Boa semana para si!

    Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há, Calado...fotografia, é o maior represente do passado. É um reviver! Boa semana, amigo. Beijos!

      Excluir
  25. Bom dia Lúcia, muito bom recordar os tempos e a história...bjs e tenha uma semana iluminada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro, Lo. Realização completa. Nos fortalece, para o presente e futuro. Linda semana, amiga...

      Excluir
  26. Olá Lúcia, mais um excelente post, com passado e presente, com fotos maravilhosas e grandes detalhes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rui. Este fazer este paralelo, do presente com o passado é tarefa das mais importantes, para mim.
      Um abraço, volte sempre.

      Excluir
  27. E mais um pouco de história, enriquecida com maravilhosas fotos.
    Muito obrigada
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa história, contada aos poucos, parece que tem mais sabor, acompanhada das imagens, fica tudo mais claro.
      Obrigada, por vir sempre, Lilá(s). Beijos!

      Excluir
  28. Oi, Lucia!

    O que mais me fascina na História, é o dinamismo, a inovação, a ousadia. Percebo, se não me engano, relatados nesse texto, mudanças filosóficas, políticas e literárias, bem como entendimentos e correntes de pensamentos diversificados, fazendo a História acontecer, e marcando a vida de homens e mulheres, de Instituições, e de sistemas...
    E as imagens, parece que nos situa no meio da situação.
    Obrigada por esta partilha.

    Grande abraço
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Socorro!
      Concordo com você, é mesmo fascinante, toda essa nuance, num período muito fértil em idéias, idealismo, nacionalismo, como diz meu pai, cheia de muitos "ismos"...Trouxe as imagens para nos fascinar, também, aos olhos.
      Obrigada, por vir e trazer excelentes comentários.
      Carinho, num abraço,
      da Lúcia

      Excluir
  29. Hoje acordei na fúria dos deuses
    O céu da ilha cobriu-se de espanto
    Uma triste nuvem plantou-se sobre a minha cabeça
    E verteu uma lágrima de pranto

    Hoje acalentei uma esperança tonta
    Uma ideia já morta
    Um sentimento perdido na espuma
    Numa ansia que já havia fechado a porta

    Hoje é hoje
    O amanhã mais um tempo triste de um coração
    Hoje é apenas o perverso andamento do relógio
    Hoje esqueci toda e qualquer oração



    Doce beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poeta Profeta ou Profeta Poeta?
      Os dois, se confundem, em mais esta
      bela crônica poética...Obrigada, um beijo,
      da Lúcia

      Excluir
  30. Belas imagens, excelentes informações. Eu gosto muito de História, mesmo sendo engenheiro. Obrigado pela visita e comentário :)
    Abraço
    Benno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Benno. Seu blog é excelente. Esteja à vontade, aqui o mais tem é História. Volte sempre.
      Um abraço,
      da Lúcia

      Excluir
  31. Vim saciar-me de cultura. Gosto do aspeto desta mesa. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Maria da Fonte, poder oferecer o que você gosta. Venha sempre, obrigada. Beijinhos!

      Excluir
  32. Adorei as fotos parabéns mais uma bela postagem, convido vc a ser seguidora do meu humilde espaço seria uma alegria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Patrícia. Já sou seguidora de seu blog, que não tem nada de humilde, tem muito é sabedoria...
      Beijos!

      Excluir

  33. Lúcia,

    Sempre me encanto com o seu zelo na divulgação de registros de fases e fatos tão importantes na história e que muito representam para você e sua ilustre família.

    Parabéns! Gostei de ler.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho mesmo, Vera Lúcia muito zelo por esta historiografia que me "dizem" muito de perto...
      Obrigada, pelo que diz.
      Um beijo!

      Excluir
  34. OI LUCIA!
    FATOS HISTÓRICOS, ILUSTRADOS, ESCRITOS DE FORMA ZELOSA, NOS APAIXONANDO SEMPRE.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lani. É sempre prazeroso, ler seus comentários. Como disse acima, tenho muito zelo, pelo que diz respeito à História, principalmente a mais próxima a mim.
      Um abraço.

      Excluir
  35. Mais uma vez te agradeço e te parabenizo por tanta informãção. Já estive na estação da Luz visitando o museu da lingua e fiquei super orgulhosa pela obra feita. Está muito interessante. Pena que os padres continuem a não poder casar; acho um absurdo dado que o casamento é também um ato religioso e defendido pela igreja; além do mais, a vida dos sacerdotes é muito solitária e muitas vezes acabam por não cumpreirem os votos a que se propuseram. Além disso muitos apóstolos foram casados e quanto a Cristo, há
    dúvidas quanto a isso; não se sabe ao certo se casou ou não, mas, segundo um padre Português que faz muitos programas de televisão, é certo que viveu com Maria Madalena que, aliás foi a sua mais fiel discípula. Claro, isso não agradava aos outros apóstolos pelo facto de ser mulher e com o passar dos tempos a figura dela foi praticamente esquecida, pois as actividades principais da igreja foram e continuam sendo dadas aos padres. Esse padre disse também que a Madalena não era a prostituta a que se referem os livros sagrados e que na idade média ela foi uma das santas mais importantes da igreja católica. Por isso, Lucia, acho um absurdo os padres não podeem casar, até porque se o pudessem fazer teríamos mais e melhores padres.
    Um beijinho, amiga e cá estarei para o próximo capítulo
    Emília

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz, em saber que estas informações venha agradando a você e a tantos que aqui frequentam. Considero um dever, de minha parte, fatos de grande importância, de pessoas que muito contribuíram com a nossa história.
      Você tem razão, quanto ao celibato. A Igreja criou "dogmas" que não correspondem aos instintos naturais do homem, do seus sentimentos. A vida de Jesus, volta e meia bem à tona, pouco se conhece dos fatos da época...e aí,já vão mais de 2 milênios. Nos últimos dias, seu possível "casamento" com Maria Madalena voltou à pauta da imprensa mundial. Vamos aguardar, em que vai dar...Já assisti vídeos com entrevistas do padre a quem você se refere. Concordo em tudo,com você, amiga: possivelmente, teríamos melhores padres.
      A Estação da Luz, é linda. Quando lá estive, ainda não existia o Museu da Língua Portuguesa.
      Um beijo, amiga Emília,
      da Lúcia. Aguardo você!

      Excluir
  36. Muito bom, cada vez que venho aprendo muito! As fotos são ótimas como referência e lindas. Parabéns!
    Um abração querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Marisete.É grande o prazer de tê-la aqui.Volte sempre...
      Um forte abraço,
      da Lúcia

      Excluir
  37. Obrigado, Lúcia.
    Sempre que passo por aqui tem sempre um bom conteúdo também.
    Sucesso...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Josú, suas charges são sensacionais!
      Um abraço!

      Excluir
  38. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  39. Sempre muito gratificante deparar com pessoas feito você...
    Acrescenta uma flor a mais no jardim da crença de um mundo melhor!
    Amei tua visita!
    Amei teu blog!

    ResponderExcluir
  40. Olá, Lúcia, bom dia!
    Na semana passada, enviei dois emails a você, para externar meus agradecimentos por sua tão estimada visita ao meu blog. Penso que não os tenha recebido. Importante é você saber que suas palavras tão gentis me fazem feliz e que fico agradecida, por saber que tenho sua companhia nas manhãs de domingo. Visitei seu blog e achei excepcional toda a história familiar que nele li! Meus parabéns, por tão linda trajetória! Hoje li seu "Éramos Seis" e digo que me levou à minha adolescência e fiquei fascinada com tão maravilhosa lembrança! Sua família é encantadora. Tenha um lindo domingo e, por favor, volte sempre! Forte Abraço!

    ResponderExcluir