segunda-feira, 3 de agosto de 2015

GRANJA

Do CEARÁ: cidades de A a V ( LXIV)
Vista aérea de Granja, tendo ao centro a bela Igreja Matriz.

O povoamento do município de Granja, antigamente chamado de São José de Macaboqueira*, Santa Cruz do Coreaú, Ribeira do Coreaú e São José do Coreaú, foi dos mais antigos que se procedeu na Capitania do Ceará Grande.Várias tribos indígenas habitavam nessa região tão beneficiada, pelas ribeiras férteis do rio.Nos idos de 1702, Miguel Machado, com seu irmão, receberam, datado de 3 de agosto daquele ano, no Recife, uma doação de cinco léguas de terra, com uma de largo, à margem ocidental do Rio Coreaú.Figuram, como primeiros colonizadores dessa região, portugueses e baianos que, às voltas com os indígenas, localizaram-se às margens do rio, onde hoje está a cidade chamada Granja. A povoação foi elevada à categoria de Vila, por alvará de 27 de junho de 1776, com a denominação que tem hoje. Um dos fatos mais importantes de Granja, foi a construção da Ponte Ferroviária sobre o Rio Coreaú em 1881, que teve em 1889 a vista do Conde D'Eu, genro do Imperador do Brasil, D. Pedro II.A origem do nome - GRANJA - segundo historiadores, remete a Portugal, referindo-se à Freguesia de São Brás de Granja - Conselho de Mourão, distrito de Évora, nas adjacências da margem esquerda do Rio Fuadelin, vez que o colonizador tinha por critério, além mar, adotar nominação pátria, nas regiões onde se localizavam.
* Quanto ao topônimo São José de MACABOQUEIRA, assim chamada a povoação, originalmente, há uma versão, do historiador cearense Capistrano de Abreu, de que os emigrantes da Missão Iapara, eram chamados de "maus caboclos" ou "caboclos maus", pelos portugueses. 
GRANJA, é o município mais ocidental do Ceará, possuindo uma 
área de 2. 697 km2. Limita-se com Camocim (litoral) Martinópolis
e Cocal ,no Piauí. Está a 300 quilômetros de distância de Fortaleza.
Igreja Matriz de São José, construida em 1759.
Detalhe da porta principal da Igreja Matriz de Granja.
Nave central da Igreja Matriz de Granja - Ceará.
Altar- Mor
Solar da Família Gouveia - Granja - Ceará
Belo exemplar de casarão antigo - Granja- Ceará
Belo exemplar de construção antiga, preservado- Granja- Ceará
Antiga Casa de Câmara e Cadeia - Gramja- Ceará
Estação Ferroviária de Granja, inaugurada em 15 de janeiro de 1881
 Desativada em 1980, passando a funcionar como Estação Rodoviária.
Desativada e abandonada há vários anos, a antiga Estação 
Ferroviária entrou em reforma e, segundo noticiou a Revista 
Camocim, a população será ouvida para opinar sobre a sua
futura utilização (não há notícias se já ocorreu a consulta...).
A bela e ponte ferroviária, sobre o Rio Coreaú, conhecida como
Ponte Metálica, foi construida em 1881, pela Estrada de Ferro
Sobral - depois Rede Viação Cearense, situada entre a estação de
Granja e Martinópolis, desativada desde 1980,custou aos cofres
 públicos Quarenta e Seis Contos de Reis.
Em 1889, o Conde D'Eu, genro do Imperador D. Pedro II,
esteve em Granja para conhecer a monumental obra.
O VÃO total da Ponte Metálica é de 112 metros e foi constrida
nas oficinas Phoenixville Bridge Works, em  Filadélfia - EEAA.
Nesta foto panorâmica, é possível se observar a Barragem Lima
Brandão, que foi construída sob a ponte, com o objetivo de
conter a água do Rio Coreaú para servir de abastecimento à
locomotiva que trafegava pela antiga ferrovia, inaugurada em
1989, com a presença do Conde D'Eu, genro do Imperador
do Brasil, casado com a Princesa Isabel, filha de D. Pedro II.
Barragem Lima Brandão ( homenagem ao engenheiro que a
projetou: Dr.José Estácio Lima Brandão).
Barragem Lima Brandão - Granja - Ceará - Nordeste - Brasil.
O MUNICÍPIO DE GRANJA, é composto de 7 DISTRITOS:
Granja (sede), Adrianópolis Ibuguaçu, Parazinho, Pessoa Anta,
Sambaíba e Timonha. Todos eles possuem lugares muito aprazíveis,
com belas cachoeiras, que, com a queda d'água forma gostosas
piscinas naturais. No período chuvoso, principalmente, a populaçã
tem lazer garantido. A meninada, é que mais aproveita...
Quando a chuva é pouca, não se tem cachoeira...
Desse ponto alto, quando a água é farta, é bem mais gostoso...
Aprazível lugar para passar o dia, num "pic-nic "
Rodovia CE 311, que liga Granja à Viçosa do Ceará.
...............................................................................................................
O mais famoso POETA GRAGENSE...
Lívio Barreto:
. o poeta caixeiro;
. o poeta do luar;
. o poeta da paixão...
LÍVIO da Rocha BARRETO, nasceu em Granja-1870-
 e faleceu em Camocim -1895. De profissão, foi caixeiro,
   vivendo alguns anos em Fortaleza, quando teve importante
  atuação na PADARIA ESPIRITUAL - movimento literário,
publicando suas poesias no jornal O PÃO e em outros...
Seu pseudônimo,como "padeiro", era Lucas Bizarro. É patrono
da cadeira de número 24, da Academia Cearense de Letras .
  Aos 25 anos de idade, é fulminado por uma cogestão cerebral,
junto ao balcão de trabalho Postumamente, teve um livro publicado.
Único livro publicado, de Lívio Barreto:DOLENTES
A mais recente edição de DOLENTES
...(pequena amostra :
... soneto LÁGRIMAS)... 

LÁGRIMAS

Lágrimas tristes, lágrimas doridas,
Podeis rolar  desconsoladamente!
Vindo da ruína dolorosa e ardente
Das minhas torres de luar vestidas!

Órfãs trementes, órfãs desvalidas,
Não tenho um seio carinhoso e quente,
Frouxel de ninho, cálix recendente,
Onde abrigar-vos, pérolas sentidas.

Vindes da noite, vindes da amargura,
Desabrochastes sobre a dura frágua 
Do coração ao sol da desventura!

 Vindes de um seio, vindes de uma mágoa
 E  não achastes uma urna pura
Para abrigar-vos, frias gotas d'água!
 Lívio Bareto.
.........................................................................................................................

Fontes: Wikipédia;Granja Ceará: o blog dos granjenses; blog Granja, Nossa Históra; Jornal O Povo e jornal Diário do Nordeste, site Estações Ferroviárias do Brasil, IBGE.
Fotos: do Google e das fontes citadas. 
..........................................................................................................................................................................................................................
Até o início de setembro, com outra cidade...meu abraço!

63 comentários:

  1. Mais um lindo lugar tão bem mostrado em fotos e explicações! Lindas poesias também! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu trabalho é didático - pedagógico, daí ser bem explicadinho rsrsr...Obrigada, chica, beijos!

      Excluir
  2. Hahaha, então deveria ser macabocleira... Belíssimo lugar, gostei particularmente do detalhe das pedras ao redor da porta da igreja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, macaboqueira é mais "coisa nossa"! ...
      Você sabe apreciar, Granja tem muita beleza!

      Excluir
  3. que lugares lindos , neste grandão ceará, adoro cidades
    que preservam sua história.
    beijinhos

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem grande, cada cidade com a sua história, seu patrimônio!
      Beijos, Simone!

      Excluir
  4. Excelentes imagens, de uma cidade que me parece muito bonita. Aliás sempre nos mostra cidades maravilhosas. Bonito soneto apesar de o achar um bocado triste.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece e é, muito bonita...além de bem antiga!
      Lívio Barreto tem outros sonetos menos triste mas esse, Lágrimas, é o mais divulgado: era um romântico! Abraço, Elvira, boa semana.

      Excluir
  5. Construções lindas e belamente coloridas, maravilhosas fotos...
    Tomo conhecimento de fatos interessantes ao vir aqui.
    Gostei também, do soneto do Lívio Barreto.
    Beijos, amiga!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há muita beleza, em Granja, e o povo a preserva muito bem.
      Obrigada, Shirley, pela presença.
      Meu beijo, querida!

      Excluir
  6. Oi, Lúcia, todo trabalho feito com amor, reflete o amor...linda cidade com características próprias de uma identidade histórica interessante, clara nos detalhes,na igreja cujo portal é magnífico (pedras tão lindas), uma ponte com raias de modernidade, casas senhoriais e prósperas..Lugares aprazíveis , bonitos aspectos de uma cidade que me pareceu próspera e historicamente importante. Lívio Barreto um jovem romântico de uma época romântica.. Oi, Lúcia, você está fazendo um trabalho magnífico de importância pedagógica e quando pronto você deve procurar publicar.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há cidades, que nos faz mais empolgada para se falar dela, mostrando as suas belezas e feitos: Granja, é dessas. Quando inicio a busca da historiografia, tento "esgotar" o que tem de relevante. Tratar de Granja, não foi difícil, teria mais a dizer mas, "doso" um pouco para não cansar o leitor...rsrs...Quem sabe, a Secretaria de Educação, daqui, se interessa em publicar, para as bibliotecas escolares? ...ao final, da letra V, proporei a sua sugestão, Guaraciaba. Obrigada, meu abraço.

      Excluir
    2. OI, Lúcia, eu vejo o seu trabalho como um instrumento de muito interesse em aulas multidisciplinares por abranger vários aspectos de realidade, além evidente de ser uma obra importante de abrangência para os próprios cearenses na visão geral de seu estado, de suas raízes, história e contribuição para o país e também por funcionar como um manual turístico para os que querem conhecer melhor a região,
      Precisa arrumar o patrocínio porque vale a pena.Um abraço

      Excluir
    3. Obrigada, pelas palavras de incentivo, Guaraciaba, vou "amadurecer" a feliz ideia! Meu abraço...

      Excluir
  7. Lúcia!
    Você, em cada nova postagem, se supera! Especialmente, "GRANJA" nos encanta com sua natural beleza, com sua arquitetura e moradores que fizeram sua história. Um conteúdo pluricultural é o que você nos apresenta! Obrigada!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Célia! Interessante, como em cada cidade encontramos peculiaridades que as diferem de outras e, assim, traçamos um perfil bem "personalizado", mesmo que em muitos aspectos se pareçam...Um abraço!

      Excluir
  8. A Granja daí e a que que me está perto, têm Arquitecturas muito semelhantes; a daqui (V.N de Gaia- Portugal) apenas é pequenina, mas os traços do casario é "igual" (ou da mesma época).
    Sempre posso olhar uma E Granja (de cá) com os olhas da que nos descreves e mostras.
    Fiquei feliz por poder comparar o tempo e os tempos que já vão destruindo Património que deveria ser preservado.
    Acho que Comentei mais sobre a Granja de cá, ainda com o Caminho de Ferro activo.
    Gostei.



    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre que apresento uma cidade homônima de outra portuguesa, busco a localização e história, na internet...Muito bom saber que você está perto da portuguesa, SOL! Parece que em Portugal, a preservação do patrimônios está mais presente!

      Beijos!

      Excluir
  9. Hoje vim só deixar a minha presença. Vi as imagens, como sempre, magníficas. Amanhã, com todo o tempo, vou ler com muito atenção.
    Bom domingo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, por sua amável presença. Manuel!
      Aguardo-o, amanhã: aprecie à vontade...
      Abraço.

      Excluir
  10. Magnifico soneto de um poeta, confesso, não conhecia. É lindo, é tudo o que um soneto deve ser.
    Quanto à maravilhosa viagem no tempo, como sempre, um reviver e conhecer, uma vontade enorme em voltar e conhecer tudo o tão bem nos deixa.
    Fico fascinado, é magnifica!
    Granja, aqui no Alentejo, é uma freguesia do concelho de Mourão, simpátia mas muito envelhecida. A gente nova vão procurando novos caminhos e, depois, só restam os mais idosos.
    Muito obrigado por estas lições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O poeta é pouco "viajado"...ficou restrito ao Ceará!
      Que maravilha, o encantamento que toma conta de você, Manuel, essas minhas postagens.Gosto, das relações existentes entre nossos países, nas cidades homônimas, mesmo que não se pareçam "fisicamente"...
      Obrigada, por vir sempre...
      ...beijo!

      Excluir
  11. Oi Lucia,
    Desculpa a demora, não daria tempo para eu ler, pois tinha horário no médico.
    Adoro esse orgulho que você tem do seu Estado, com lindas arquiteturas; as Granjas todas reformadas.
    É o amor desse povo maravilho que admiro e respeito
    Adorei a poesia.
    Beijos no coração
    Dorli Ramos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dorli, está desculpada...que tudo esteja bem com a sua saúde.
      Tenho orgulho da minha terra: é o amor infinito que tenho por ela.
      Obrigada, querida, pela presença e palavras...beijos!

      Excluir
  12. Toponímia à parte , o que me encanta são estas divagações - parecem!- que entram tão de leve no pensamento que as lavamos de volta. Depois sempre as magníficas fotos com que nos brindas e onde o Céu se faz falar ! Parabéns, Lúcia por mais está viagem!
    Beijinho grandeeee!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Manu, ou mostrando e divagando: é o amor que toma conta da gente, pela terra que tanto nos concede por toda uma vida, sem nada cobrar...
      Obrigada, por vir sempre...
      beijos, com carinho!

      Excluir
  13. Uno splendido reportage : monumenti, angoli di natura, poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto que goste, Costantino! Venha sempre, é um prazer!

      Excluir
  14. Lúcia, conheci mais uma cidade atraente do Ceará, Granja!
    Fotos lindas... As da ponte me encantaram...
    Poema forte e bastante expressivo!
    Beijos e o meu abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que venha e goste, Anete: Granja é mesmo lindinha!
      Os poetas dessa época, tinham "traços" bem expressivos, esmo tristes!
      Beijo!

      Excluir
  15. Gostei das edificações antigas de Granja.
    Você nos levando pelo Ceará e aumentando a vontade de conhecer.
    Carinhoso abraço amiga.
    Bjs de paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Toninho. Passear com todos vocês, me agrada muito, mostrando o Ceará...Meu carinho, amigo, num beijo de paz!

      Excluir
  16. Oi Lucia,
    Demorei um pouquinho, né? Passei por Graça e me detive para ver as quebradeiras de babaçu.
    Aqui em Granja, me encantei com estes casarões antigos, ao jeito dos castelos das histórias de príncipes e princesas que as nossas mães contavam.
    Lindo este seu trabalho, sempre nos mostrando as belezas e os encantos do Ceará!
    Xêro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre espero você, Estela, sabendo que saberá apreciar o que há de típico nas regiões aqui apresentadas. Granja, é das mais antigas e está sabendo preservar edificações originais. Obrigada!
      Xêro....

      Excluir
  17. Mais uma reportagem fantástica.
    Adorei a Igreja Matriz da Granja, que lindo edifício.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Maria!...é muito linda, a Matriz...diferente!
      Beijos!

      Excluir
  18. Gostei imenso do que li e vi, embora num mundo distante do meu...
    Excelentes fotografias,excelente reportagem...

    Grata pela visita, vou adicionar-me aos seguidores. Beijinho....:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem distante e tão perto (pela internet rsrs ).
      Obrigada, Cristina, fique à vontade...seja bem vinda .
      Beijo!

      Excluir
  19. Eu sei que em Setembro haverá mais uma dose de história e cultura, mas eu venho sempre.
    Vou lendo e observando os cantos e recantos.
    Vale, sempre, a pena ver de novo.
    Beijinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já estou preparando, a de setembro...está bem adiantada rsrs !
      Venha sempre que quiser, Manuel, quem é observado "ganha mais"!
      além de valer à pena ver de novo...
      ...beijo!

      Excluir
  20. Oi Lúcia! mais uma vez, aqui pegando carona contigo neste passeio maravilhoso pela bela Granja com imagens encantadoras. Adorei o soneto do Lívio Barreto, com ênfase para o a estrofe abaixo:

    Órfãs trementes, órfãs desvalidas,
    Não tenho um seio carinhoso e quente,
    Frouxel de ninho, cálix recendente,
    Onde abrigar-vos, pérolas sentidas.

    Muito obrigado pela visita e amável comentário deixado no nosso Arte & Emoções.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre um grande prazer, Furtado, ler seus comentários aqui, com a sua amável presença.
      Muito bem selecionada, a estrofe, também gosto muito.
      Forte abraço, amigo!

      Excluir
  21. Magnifica e instrutiva esta viagem que eu fiz à bela Granja através deste belo trabalho.
    Gostei imenso.
    Um abraço e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja sempre bem vindo,Francisco, obrigada por vir e apreciar.
      Meu abraço, bom domingo e semana vindoura!

      Excluir
  22. Voltei: Nunca é demais voltar para ouvir de novo a voz que nos acompanha na viagem!
    Beijinho com saudades, Lúcia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, vê-la de novo, Manu....sua companhia, muito me agrada, "matando" as saudades!
      Beijo, Querida!

      Excluir
  23. Boa noite, Lúcia.
    Como passei uns dias na aldeia e lá é difícil apanhar rede na aldeia só agora aqui venho.
    Que lugar aprazível esse para passar o dia, num "pic-nic" mesmo!
    E que dizer do soneto?
    É triste, mas lindo e fazendo uma análise mais cuidada também encontro nele solidão.

    Beijinhos e resto de 1 bom domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Paula...(só agora, pude vir rsrs)
      Feliz de você, que foi à aldeia...há muito não saio da cidade grande!
      Granja é um lugar apropriado para o lazer, sem dúvida...e o soneto é triste e bonito, também acho....a maioria dos poetas dessa época tinham essas características.
      Beijo, boa semana!

      Excluir
  24. Muita coisa passa pela cadeirinha de arruar.
    Parabéns pelo magnífico trabalho, Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Agostinho...antes passavam mais coisas, dentro de um mês..tenho dedicado menos tempo, à cadeirinha...!
      Obrigada, amigo, meu abraço!

      Excluir
  25. Falta pouco para Setembro, venho desejar um bom fim de semana.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá chegando, Manuel!
      Tenha um bom final de semana, meu abraço!

      Excluir
  26. Encontro-me de férias na Escócia, de momento em Thurso, a dois passos do Mar do Norte, onde o acesso à Net (e à civilização dum modo geral :) ) é bastante difícil.
    Quando regressar a Bagno a Ripoli, o que deverá ser em finais de Setembro, visitarei todos os blogs amigos.
    Até lá desejo-te tudo de bom e dias muito felizes.
    Um beijo
    MIGUEL / ÉS A MINHA DEUSA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveite bem as férias, Miguel! Aguardo você!
      Meu abraço!

      Excluir
  27. Lucinhamiga

    Venho tarde - mas venho. O livro da cozinha goesa dá comigo em doido; só as conversões são um realíssima espiga: arrátel, onça, canada, meia medida de Goa. Safa!!!...

    O meu neto Rodrigo (19 aninhos) que teclou umas largas receitas mandou-me um imeile: "Avô, já sei o que NÃO QUERO SER QUANDO FOR GRANDE: COZINHEIRO GOÊS!!!,,,

    Desde o assucar até ao assafrão é só hotugraphya, de acordo com o novo... Acordo

    Apesar do prezar registo mais uma bela pesquisa e mais um belo post.. O Ceará há-de gostar. Ou melhor - já gostou; e eu também!

    Xêros nim Kel e qjs do Leãozão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ferreiramigo, que prazer, quando você aparece: prazer na visita e na gastronomia goesa...A primeira vez que estive com minha sogra, goesa, (1983) ela me fez copiar uma porção de receitas e tive que aprender todas essas medidas.
      Estou ansiosa, para ver esse novo livro de gastronomia goesa: adoro, você sabe! O meu Rodrigo, faz comida italiana muito bem, Da goesa, só para comer!
      Xêros, na Kel e nin tu...

      Excluir
  28. Querida Lúcia, adoro edifícios coloridos. E também gostei particularmente da fachada e porta da Igreja matriz. Não conheço a homónima portuguesa, com certeza terá meia dúzia de habitantes nos dias que correm.
    Obrigada por este momento, incluindo o romantismo desse poeta do luar e da paixão...
    Beijinhos, uma linda semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ruthia, minha querida, eu também adoro, colorido nas paredes! Que bom que você faz uma apreciação que dá gosto, e me leva a continuar trazendo o Ceará de A a V !
      Beijos!

      Excluir
  29. Com o tempo começamos a sentir saudades de todos amigos ,
    que passaram em nossas vidas muitos ainda permanece.
    Outros de repente partiram deixando seus blogs sem
    dizer um até breve .
    Outros tiraram do ar aquele ponto de encontro de tantos
    anos de uma linda amizade ,
    deixando somente a saudade em nossos corações.
    Estou dando uma volta num passado não muito distante
    espero que goste dessa fase de recordar é viver ,
    feliz daquele que tem algo de bom para recordar.
    Uma abençoada semana que Deus lhe abençoe sempre
    e sempre.
    Beijos no coração.
    Evanir.
    Gostaria muito de conhecer esses lugares lindos
    e muitos deles com coisas muito antiga adoro lugares de grandes historias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Evanir...com o tempo, os blogueiros passam a ter muitos seguidores e seguir muitos blogues, não "dando conta" para visitar todos e não não ser visitados por todos. Considero natural, que aconteça...No entanto, sentimos saudades dos "mais cativos"...
      Obrigada,querida, por ter vindo, pelo comentário!
      Beijo!

      Excluir
  30. Olá, Lúcia, saudades desse cantinho... Lindo soneto!
    E aquelas fotos de casas antigas, igreja me fascinam, adoro esse estilo, e a Estação? Uma graça!
    Beijos amiga! A gente se perde um pouco, mas se acha novamente!

    ResponderExcluir
  31. Senti-me em Portugal por breves momentos. Vi alguma traça em Português.
    Bj

    ResponderExcluir
  32. Prezada Lucia:

    Agradeço pela sua visita ao meu blog (Guardião do Portal) e pelas palavras lá deicadas. Sucesso pra você em sua empreitada ai.

    Grande abraço!"

    PEDRO BRASIL JR
    www.columbianews2008.blogspot.com

    ResponderExcluir