terça-feira, 3 de janeiro de 2012

MOMENTOS IMPORTANTES...

Presente, o "CORAÇÃO DE JESUS" ! (Momento II)

Frontispício na fachada do Prédio Vicentino - fotografado em
02-01-2012  (Foto: Rodrigo Paiva)
Prédio Vicentino, fotografado em 02-01-2012...
(Foto: Rodrigo Paiva)
Prédio Vicentino em foto bem antiga, provavelmente década
de 1920. A fachada sofreu poucas alterações. Neste prédio,
funcionava uma sala de aula, localizada no espaço logo atrás
às três janelas à direita. Aí, iniciei meus estudos na escola primária.
Daí, avistava a Igreja do Coração de Jesus e o Parque da Liberdade.
Na igreja, ia para rezar, assistir às liturgias, ao parque ia para o lazer infantil...


Em 1945, quando eu já mostrava, com os dedinhos, meus 3 anos de idade, mudamo-nos da Rua J. da Penha, no antigo bairro do Outeiro, onde a nossa família sempre residiu, em Fortaleza, para a Rua Barão de Aratanha, no centro da cidade,  para uma casa bem próxima à Igreja do Sagrado Coração de Jesus.  
Essa igreja ainda era conhecida, na época, como a Igreja dos Albano. É que o Barão de Aratanha - José Francisco da Silva Albano - foi um rico comerciante que muito contribuiu para a construção do templo, inclusive na doação do terreno. Daí a homenagem na nomeação da rua que tem seu início junto à igreja, na parte de trás, se prolongando, em linha reta, por vários quilômetros, no sentido cidade>sertão....


Meus primeiros "ensaios", em escola, se deu no Prédio Vicentino. Da lateral direita da igreja, referida acima, se tem esta mesma visão da edificação dos vicentinos. Este prédio foi construido  na 2ª década do século XX, 1912, há cem anos, portanto, para abrigar a SSVP (Sociedade São Vicente de Paulo), da qual, desde jovem, meu pai fazia parte, na qualidade de Confrade Vicentino. A SSVP  mantinha uma escolinha primária, que acolhia, para os estudos primários, filhos de confrades. Alí estudei os três primeiros anos do então "curso primário". Alí também frequentei  o "catecismo" da igreja vizinha, com a professora  Jarina, que  preparou, a mim e às coleguinhas da escola, para a 1ª Eucaristia. Minha professora primária, chamava-se Miriam ,a quem eu achava meiga e bonita...
A construção da Igreja do Sagrado Coração de Jesus é mais antiga que
a do Prédio Vicentino. Foi inaugurada ainda no século XIX, no ano de
1886.  Essa foto é de 1892. (Imagem: Arquivo Nirez).
Nesta foto aérea, a igreja que aparece em 1º plano é do "Coração de Jesus". À frente
dela vê-se o Parque da Liberdade, hoje Cidade da Criança.  A igreja que se avista em
2º plano é a de Nossa Senhora do Carmo. Ambas ficam na Av. Duque de Caxias, antigo
Boulevard Duque de Caxias, distantes três quarteirões uma da outra. (Foto: Arquivo Nirez)
Quando recebi minha primeira comunhão nessa igreja , em  23 de Dezembro de 
 1951, ela ainda mantinha essa aparência de sua construção original, de 1886.
Esta foto é do início da década de 1950.(Imagem: Arquivo Nirez).

Minha Primeira Comunhão, antecedeu ao Natal de 1951.Vivi   quase toda a infância nesse delicioso bairro central de Fortaleza.
A igreja que eu frequentava com a família, a escola onde eu estudava e o parque, onde eu brincava, se encontravam  muito próximos à casa onde eu morava. Tenho, por essas imagens, um terno carinho de saudades.... Muito foi transformado, na paisagem real, mas permaneceu a bela imagem antiga, na minha memória e nas fotos registradas  e arquivadas, em grande acervo, pelo formidável historiador e pesquisador Miguel Angelo de Azevedo Nirez. 

Depois que me transferi da escola do Prédio Vicentino para outra escola, continuei a frequentá-lo, esporadicamente, pelo fato de ser meu pai um atuante Confrade Vicentino, nas obras alí empreendidas, em prol dos pobres que dependiam da caridade  da SSVP. Durante muitos anos meu pai permaneceu trablhando naquele prédio, a organizar os seus arquivos, a  sua biblioteca e noutras atividades, próprias daquela obra social. 

No ano seguinte à minha 1ª Comunhão, ou seja, em 1952, os frades franciscanos que dirigiam a Igreja do Coração de Jesus, resolveram modificar a sua bela torre , tornado-a retangular, onde instalaram, sobre ela, um  imenso relógio e novos sinos, bem mais pesados que os sinos originais.
A torre da igreja foi modificada  depois de 1952. Aquela bela torre, em forma de flexa,
apontando o "céu", foi substituida por uma torre retangular, com uma imagem de Jesus, 
no alto, medindo 3 metros de altura. A imagem, antes, ficava acima do pórtico central. 
A estrutura original não suportou o grande peso....provocando o desmoronamento...
( Fonte e Imagem: Arquivo Nirez)

Eram 13:20 min. da tarde do dia 13 de abril do ano de 1957. Meu pai encontrava-se trabalhando no Prédio Vicentino. De repente, ele ouviu um imenso barulho, semelhante a trovão, conforme nos contou, ao chegar em em nossa casa, naquele fatídico dia...
Relatou-nos que, ao chegar à janela, viu  a sua querida igreja indo abaixo, desmoronando grande parte de sua construção, como se fora  num terremoto...No entanto, ficou de pé a parte de trás da igreja. O Altar Mor, com uma bela imagem do Sagrado Coração de Jesus, nada sofreu...apenas a poeira, como um véu, encobria o que restou...
Ninguém saiu ferido, os que lá estavam encontravam-se  na  chamada Sacristia,  que nas igrejas antigas, eram sempre instalada atrás do Altar Mor....
Assim ficou, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, naquela tarde
de 1957...Eu vi estes escombros, algumas horas depois....


*******
NOTAS:
1- Na próxima postagem, teremos o Momento III, desta série, mostrando o "destino" do " CORAÇÃO DE JESUS" (igreja), em sua
3ª versão arquitetônica;

2- No blog Fortaleza em Fotos e Fatos,  há excelente postagem, datada de 24/11/2011 - Igreja dos Albanos. (Igreja do Coração de Jesus) - que me serviu de fonte, para algumas datas;


3- Neste blog, Da Cadeirinha de Arruar, nas datas 27/0211 e 03/03/11, estão as postagens Família Albano e Paiva (UNIDAS MISTICAMENTE) I e II, onde eu narro de que forma se deu a UNIÃO dessas duas famílias, em Fortaleza.

  
*******


Já estou indo, mas  eu volto...... Um abraço!

63 comentários:

  1. Me sinto fazendo parte destes bons tempos inocentes neste teu relato. Principalmente na queda da igreja, pois eu passei por ela ao largo, pela calçada do SOS e quando cheguei no IBEU, deu-xe o estrondo. O parque ficou envolvido por uma densa poeira, o povo corria sem saber para onde, eu fiquei apavorado, só depois que a poeira baixou é que eu vi para onde todos estavam correndo,decidi então acompanha-los. Fiquei um bom tempo presenciando tudo aquilo. Os bombeiros vieram e fizeram uma vistória no local, para em seguida liberar a entrada das pessoas para retirar o que era possível dos escombros e eu fui ajuda-los. Passei um bom tempo neste serviço e não me dei conta. Quando resolvi ir para casa, ali na Meton de Alencar,87, meus pais estavam me esperando na porta da casa assustados pela minha longa ausência. Resultado, levei uma sova de cinto. Quando eu disse onde estava, aí foi pior, pois me repreenderam pelo o perigo que eu passei onde o restante dos escombros poderiam cair em cima de mim. Aí está Lúcia, me desculpe, acho que me entusiasmei em demasia. Parabenizo tua Cadeirinha de Arruar. bjs.

    ResponderExcluir
  2. Texto e fotos muito interessantes.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. É muito lindo o modo que falas tuas histórias, narrando lindos detalhes. Fotos lindas também! beijos,chica, lindo dia!

    ResponderExcluir
  4. Relatos de momentos únicos em sua vida. Revivê-los é reacender a chama de suas origens. Lindo! Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  5. Bonavides, a recíproca é verdadeira, sou fã do
    Estrelas Que Nunca Se Apagam...É um blog delicioso, o seu! Tanto, que você me inspirou a publicar um vídeo com a bela voz Marilia Batista, no FB.

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Ivan, você faz mesmo parte dessa história. O relato seu, acima, complementa a minha narrativa.Aquele ambiente era nosso, sofremos muito com a queda de "nosso" Coração de Jesus.

    Obrigada, pelo entusiástico e formidável. comentário. Entusiásmo,é vida!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Esses moments, Célia, quero sempre compartilhar com quem aprecia a vida. São momentos ricos!

    Obrigada, minha querida.
    Um abraço,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  8. Chica,
    amiga, dei um salto...perdoe!

    Sou mesmo muito detalhista, quando falo, quando escrevo. Quando à "lindeza", é por sua conta rsrs.
    Obrigada, querida
    Beijinhos,lindo dia!

    ResponderExcluir
  9. Olá Lúcia...
    Mais uma vez um lindo relato que nos dá, de forma tão detalhada e precisa,o retrato perfeito desses belos locais onde viveu a sua infância e dos quais, acredito, terá imensas saudades....!!!!
    Que bom que é recordar dessa forma...!!!
    Parabéns....
    Um abraço
    Albertina Granja

    ResponderExcluir
  10. Lucinhamiga

    A História vai desenrolando-se nos teus escritos com uma suavidade que me impressiona. Dá ideia que tudo é fácil; mas não é. Pesquisadora intimorata, desbravas os temas mais motivadores de controvérsia, com um sorriso nos lábios.

    E até parece que pedes desculpa de saberes tanto e saber expressar esse tanto, numa linguagem chã, compreensível, terna e sentida. Adoro o que escreves - e como escreves.

    Xêros da Kel, abç ao Rodrigo & Cia (NÃO ESCREVI CIA...) e qjs para tu

    ResponderExcluir
  11. Querida Lúcia

    Bom Ano de 2012!

    Os seus relatos encantam-me e deixo-me ficar a ler e a percorrer mentalmente os mesmos caminhos que percorria na sua infância.Esses 'Momentos' importantes da sua vida, que partilha connosco, faz com que nos sintamos mais próximos e a apreciar esses recantos e as pessoas que fizeram e fazem parte das suas vivências.

    Obrigada, minha amiga.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderExcluir
  12. Lucia
    Voce deveria esta incluida como presidente da casa da cultura de sua cidade. Voce tem um monte de reliquias.
    com carinho e amizade de Monica

    ResponderExcluir
  13. Oi, Albertina, você sempre tão generosa!
    Obrigada, pelo carinho, amiga.

    Beijinhos,
    da lúcia

    ResponderExcluir
  14. Ferreiramigo, você assim me deixa encabulada...As lembranças felizes, ou não, vão vindo e saio "catando" fotos antigas e fazendo novas, para tornar o texto mais "palatável".

    Meu Xêro na Kel, nos Ferreira & Cia, adoçado com bibinca...

    ResponderExcluir
  15. Querida amiga Olinda

    É um grande prazer, relatar cada bocadinho da minha vida, principalmente desse tempo inocente da infância.

    Obrigada e Feliz 2012!
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  16. Miniquinha,
    bom, você aqui, com seu carinho.
    Só sei ser "presidente" da minha história pessoal e de minha cidade amada.

    Obrigada,amiga.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  17. Lucinha, irmã
    Que terra tão linda! Não só os Monumentos mas, toda a cidade.
    Deus queira que se mantenha assim.
    Beijinhos para si.
    Maria

    ResponderExcluir
  18. Maria, irmãzinha querida,

    Minha terra já foi linda assim, com lindos monumentos. Assim a recordo. No entanto a ganância imobiliária e a permissividade dos órgãos públicos, há décadas vem destruindo todo esses patrimônios. Alguns imóveis, se mantiveram como o Prédio Vicentino. Na próxima postagem você verá como ficou a "nova" (1961) Igreja do Coração de Jesus.

    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  19. Lindos monumentos que perecem no tempo e com o tempo, Lucia.
    Pena que nem todos tenham a sensibilidade para que a memória não se perca com outros rumos que dão à historia que faz parte da nossa história.
    Uma linda e oportuna postagem
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Oi Lúcia,
    Que boas recordações!
    Estudei num colégio que ficava no mesmo terreno da Igreja de Santo Antônio, onde fiz a primeira comunhão. A igreja permanece tal qual era, apenas a pintaram com cores alegres (antes era cinza). O colégio foi para outro endereço e em seu lugar ficou uma galeria de lojas. No local onde havia "a minha" sala de aula tem uma loja de roupas e no salão onde tínhamos lições de canto e artes cênicas funciona um restaurante, por sinal muito brega (rsss). Os tempos agora são outros...
    Um Xêro.

    ResponderExcluir
  21. Oi Lucia..
    Passei pra te desejar um ótimo fim de semana!!!
    E venha me visitar sempre, é um grande prazer sua visita.
    bjss
    Borboleta

    ResponderExcluir
  22. Fico pensando, Manu, como seria se não tivéssemos a chamada "memória visual" ou "fotográfica"...juntamente com os registros que alguns fizeram, na "real"...Dou um valor imensurável à História, principalmente quando sou protagonista dela...

    Obrigada,pelo carinho
    Um abraço

    ResponderExcluir
  23. Olá, Estela

    "Nossa" 1ª escola, nunca esqueceremos. "Nossa" sala de aula, muito menos. Essas recordações, são deliciosas. Não imagina que felicidade vendo meu filho fotografando a fachada do Prédio Vicentino e reviver 60 e tantos anos atrás...

    Veja, você sabe tudo o que ocorreu com a "sua" escola, as transformações nesses outros tempos...

    Xêro, amiga

    ResponderExcluir
  24. Olá, Borboleta!

    Logo irei visitar você.

    Bom final de semana.
    Beijos,
    Lúcia

    ResponderExcluir
  25. Lúcia,
    Postei no "Guardados" uns brinquedinhos dos nossos! Vai lá ver (rssss).
    Xêro.

    ResponderExcluir
  26. Bom dia querida!
    Fui atraida por essas recordações minha querida...vc tem alma sensível ...isso te faz um ser especial...
    bjs de 2012!

    ResponderExcluir
  27. Oi, Estela
    Acabei de voltar do "Guardados e Achados".
    Me deliciei, vendo os brinquedos que povoaram a
    nossa infância nordestina.

    Xêro!

    ResponderExcluir
  28. Obrigada, Severa!

    É um prazer, receber você aqui.
    Vou já fazer a minha 1ª visita de 2012 a você.

    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  29. Minha amiga como é bom recordar os momentos mágicos da nossa infância. Obrigado por partilhar connosco as suas recordações, numa narrativa tão viva que nos leva a divagar consigo.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  30. Querida, admiro este dom que tens de tão bem reviver o passado e através das palavras dar o colorido que merece,Parabéns! O tempo não teria sentido se não houvesse as lembranças.Bjs no coração Eloah

    ResponderExcluir
  31. Minha Querida Lúcia:
    Este seu passado revisitado é uma ponte para o seu futuro.
    A reconstrução do seu passado, ajuda-a a edificar o seu presente e a melhor projectar o futuro.
    E, falando em futuro, desejo-lhe um 2012 com muita saúde e tranquilidade para conseguir gerir da melhor forma possível, as provações e as privações com que a vida a vem fustigando. E não esqueça, agora e sempre, que tem uma amiga deste lado do Atlântico.
    Um abraço muito apertado.

    ResponderExcluir
  32. Uma bela postagem amiga,
    é bom reviver o passado,
    beijos de luz

    ResponderExcluir
  33. São realmente mágicos e portanto inesquecíveis, Maria,muitos momentos da infância. Voltam a ser reais, quando os recordamos.
    Obrigada, pelo carinho.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  34. É tão presente, o meu passado, Eloah, que até a mim impressiona a "nitidez" do colorido. Gosto, de recordá-lo...
    Grata, pelas doces palavras.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  35. Isabel, querida, é realmente uma ponte que me conduz ao novo caminho, ao futuro...
    Obrigada, pelo carinho. Sei que tenho em você a amiga com quem posso contar, em terras lusitanas.

    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  36. Fico muito grata, Maria Selma, com seu carinho
    É mesmo muito bom, recordar o passado alegre.
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  37. Ao ler a descrição, parecia que se estava referindo a Lisboa....Como Fortaleza se confunde com Lisboa. Se por isso que os portugueses gostam
    tanto de Fortaleza....
    Gostei de ler.
    Beijo

    ResponderExcluir
  38. Há pouco, Andrade, comentei uma postagem na
    Travessa do Ferreira, em que ele descreve Lisboa,
    mostrando o quanto as duas cidades são "irmãs"...

    Bom, que gostou de ler, obrigada.
    Beijo

    ResponderExcluir
  39. Um belo registo de vida! gostei muito da leitura e adorei as imagens.
    Bjs

    ResponderExcluir
  40. Querida Lúcia,
    Linda sua postagem. Encantei-me e emocionei-me com ela. Poucas pessoas, entre as que eu conheço nesta blogosfera, trazem para os amigos, imagens e detalhes tão importantes de sua cidade em épocas mais antigas.
    Fico a pensar na minha amada Santa Maria (RS). Cidade onde nasci e saí aos 3 anos de idade. Voltei lá aos 17 anos e fui conhecer o bairro e a casa onde havia nascido. Para minha surpresa, a casa ainda existia. Foi uma emoção muito grande. Depois disto, nunca mais voltei lá. Mas,
    há uma saudade aqui dentro do peito que dói um pouco, quando leio postagens como a sua. Talvez ainda um dia, eu volte para ficar mais um pouco por lá.
    Agradeço sua visita e seu comentário em meu blog. Amei!
    Deixo, aqui também, meus votos de um 2012 com muita paz, saúde e harmonia para você e sua família.
    Um carinhoso beijo, amiga.
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  41. Boa tarde Lucia, que história linda e que lugar,pena que o tempo mudo tudo, espero que seu 2012 mude para tudo que você desejar... bjs

    ResponderExcluir
  42. Lúcia muito querida,

    Aos poucos vou colocando em dia as minhas visitas,após uma semana de férias,curtindo filhos e netos,a nossa casa da praia,o Rio de Janeiro,que continua lindo,as compras,o cinema com a netinha e a agitação de uma casa cheia.
    Estou acompanhando atentamente suas recordações e penso que temos muitas lembranças parecidas...até mesmo a do quadro,no meu caso uma representação de Sta Rita,a mim ofertada por minha sogra e que hoje está na sala da casa de um dos filhos.Meu pai não era vicentino mas minha mãe era secretária da irmandade de Sta Terezinha,além de ser Filha de Maria e pertencer ao Apostolado da Oração...há pouco tempo encontrei em uma caixa as suas fitas de irmandade.Mais tarde narrarei estes fatos.
    Gosto demais de te ler e fico esperando por novas postagens.
    Obrigada pelo carinho de seus comentários lá no meu cantinho.
    Bjsssss,amiga,e muito carinho,
    Leninha

    ResponderExcluir
  43. Muito grata, Lilá(s)
    Minha vida é assim, "um livro aberto"!
    Obrigada, pelo carinho
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  44. Querida Maria Paraguassu
    Como disse acima, à Lilá(s), minha vida é
    um livro aberto"...e ainda mais tenho um prazer
    imenso em fazer esses relatos que povoam a minha
    memória.
    Veja, cada um tem a sua história:soube hoje, um pouco da sua. Gostei do que contou, no comentário.
    Obrigada, pelas doces palavras.
    Um carinhoso beijo,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  45. Oi, Lo
    Minha história, gosto de expor para quem gosta
    de histórias de vida...
    Obrigada, amiga, por tanto carinho.
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  46. Leninha, amiga

    Quando estive no seu lindo recanto, percebi que a sua viagem de trem ainda não tinha se acabado. Férias longas! bom demais, ficar com filhas e netos. Realmente, temos momentos de vida bem parecidos. Mamãe também foi Filha de Maria e Senhora de Caridade. Eram tantas as medalhas...

    Obrigada, pelo carinho
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  47. Ótimo acervo esse. Vendo as fotos e lendo o teu texto voltei ao passado. Um sensação de nostalgia maravilhosa. Muito embora nunca estive neste lugar. Viajei... Parabéns, Lúcia...

    ResponderExcluir
  48. É sempre muito bom vir aqui e conhecer com tanto pormenor a tua história e a dos teus antepassados.Também, quando vou à aldeia onde nasci e onde ainda existe a casa onde vivi me lembro da escola onde fiz a primária e que ainda existe; também ficava perto de minha casa. Onde fiz a minha 1ª comunhão foi na única igreja da aldeia que foi substituida por uma nova, mais ampla e mais moderna. Muita coisa mudou, como é normal, mas as lembranças, essas ficam. Ao falares da tua professora, lembrei-me da minha que muito me marcou pela positiva e que, por incrivel que pareça agora mora na mesma cidade que eu e, quando nos encontramos ,ficamos a recordar esses tempos bons. Obrigada pela partilha de factos tão interessante e fica bem, amiga. Um beijinho e até breve
    Emília

    ResponderExcluir
  49. É um formidável acervo, Maxwell, principalmente este, do pesquisador, historiador e escritor Nirez. É mesmo uma deliciosa volta ao passado...

    Obrigada, amigo, pela visita e palavras.
    Um abraço,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  50. Querida Emília

    Gosto imensamente de relatar esses momentos que muito me fizeram feliz e ainda fazem, ao recordá-los. São situações comuns a muitas pessoas, mas cada uma com certa particularidade.

    Obrigada, pelo carinho.
    Beijinhos,
    da Lúcia...até breve, amiga...

    ResponderExcluir
  51. great blog!!!

    visit my blog...!

    http://voguelyvan.blogspot.com/

    kisses!!!

    ResponderExcluir
  52. Fui lá dina, e gostei de seu blog, muito criativo, em seu ecletismo...
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  53. É tão enternecedor recordar os momentos vividos na nossa infância ! Lindas postagens!

    ResponderExcluir
  54. Lúcia, sou fascinada por construções antigas. Q pena q modificaram a igreja q desabou. Belíssimas fotos.
    Vc é privilegiada por morar em uma cidade tão incrível como Fortaleza! Muita paz!

    ResponderExcluir
  55. Momentos que ficaram no passado são momentos que nos marcam de alguma forma. Ver as imagens, conhecer a história é muito bom.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  56. Obrigada, Helia, é mesmo enternecedor recordar os momentos da infância.

    Um abraço,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  57. Sou tão fascinada, Denise, por minha Fortaleza antiga, que muitas vezes exagero, na quantidade de fotos, nas postagens.
    Amo, minha cidade!

    Muita paz!

    ResponderExcluir
  58. Marcam,Élys, de maneira profunda.
    Adoro juntar as images aos momentos recordados.

    Beijos, meu amigo!

    ResponderExcluir
  59. Você tem excelente memória. Seu relato traz, nitidamente, sentimentos há muito vividos, lembranças que costumamos perder, ou encobrir. Tudo isso faz parte da história e gostei de ver que o Prédio Vicentino não perdeu suas características originais. Relatos de vida são muito interessantes e os aprecio, verdadeiramente.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  60. Parece que tenho mesmo, Marilene, "excelente memória"! Ela vem vindo, numa sequência quase real, revejo tudo, com muita "nitidez"... O Prédio Vicentino, é praticamente o mesmo, dentro é lindo, cheio de arcos.
    Que bom, que você aprecia.
    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  61. Olá Lúcia. Vim devolver a visita e acabei por ficar. Gosto sempre de visitar o quintal de quem visita o meu. E às vezes, como agora, acabo por me sentar num recanto e admirar o jardim. Bela homenagem à família e aos lugares que nos ficam no coração. Vou certamente sentar-me neste seu quintal mais vezes. Um beijo do outro lado do Atlântico.
    Bela

    ResponderExcluir