sexta-feira, 18 de março de 2011

FORTALEZA : passado & presente


Quando se conhece bem a cidade onde se nasce, quando se ama, apaixonadamente, a cidade em que se nasce, mais dia menos dia, há que se decantá-la.
Comparo a minha cidade, à uma pessoa. Quando se tem registros fotográficos de uma pessoa, desde o nascimento até a velhice, pode-se observar as transformações pelas quais ela passou. Mas há
pessoas em que se percebe mais as transformações. Sobre essas, costuma-se dizer : "como mudou, nem parece a mesma!". Do contrário diz-se: "não mudou nada, continua a mesma !".

A Fortaleza de que me lembro, de quando eu criança, já era bem diferente daquela da infância dos meus pais, dos meus avós....
mas as mudanças, de uma geração à outra, não se davam tão drasticamente, tão agressivamente, como nas últimas décadas.


Lagoa do Tauape - Benfica - anos 1950


Hoje, quero decantar minha cidade, mostrando o meu lamento por muito  de bom que "furtaram" dela, ou de nós, que a amamos ......


                       FURTO  D'ALMA

Não sinto mais, a intensa brisa litorânea
Mudou tanto, a minha cidade
Cidade clara, com luz própria, feito o Sol
"Cidade que furta e lesa a alma da gente", no dizer do amado pai

Cadê, a Lagoa do Tauape?
Cadê, o "puxa-puxa" da Tereza?
Cadê, o "cruzeta" na hora?
Cadê a "chegadinha" musical, regada simplesmente a triângulo?

Aterraram a lagoa, sem dó, sem piedade
A Tereza, partiu para o infinito
O pregão do "cruzeta", foi-se embora
Só restou a "chegadinha", rareado na calçada

Era um jogo de xadrez, quando menina
Cresceu, perdeu a cor, a formosura, o pudor
Intumesceu desordenada, horizontal/verticalmente
Salvem, a minha Fortaleza AMADA
É minha súplica constante
É minha prece de AMOR

                                             *******

Volto sempre..........um abraço!
       

14 comentários:

  1. Essa Tereza do puxa-puxa era famosa. Tenho um livro que fala dela, diz que fazia ponto em frente aos colégios e vendia fiado a alguns alunos - não a todos - só aos que ela julgava honestos.

    ResponderExcluir
  2. Era famosa mesmo. Quero ver esse livro, Fátima. Nunca vi nada escrito, sobre ela.Foram tantos os famosos de rua, os tipos populares,a Ferrugem, é outro exemplo. O homem que vendia cruzeta, passava todos os dias pela minha rua.
    É muito bom, "trazer" essa gente de volta...

    ResponderExcluir
  3. É o livro Sessão das Quatro, de Blanchard Girão. Ele faz uma retrospectiva de pessoas hábitos e figuras que ele vivenciou em Fortaleza em épocas passadas, e cita essa tereza do puxa-puxa. O que ele fala é basicamente isso que eu coloquei, não sei se ele faz novas referencias porque não li o livro todo. Fala também da Ferrugem, e de muitos outros. Se quiser o livro, está a seu dispor
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Obrigada,Fátima, pego um dia desses!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Lúcia Bezerra,agradeço sua visita, seu Blog é muito bom pois retrata História e Genealogia, assuntos que também pesquiso, faço outro Blog:http://acarauprarecordar.blogspot.com/ onde resgato a História e Cultura de Acaraú.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada, Totó Rios, pela visita,adesão e elogio ao meu tão simples blog. Vou visiar o seu Acaraú.
    A família Oliveira Paiva, tem ligaçõs muito fortes naquela região.
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  7. É o pouco que sei fazer,Antônio amigo!
    Obrigada, pelo carinho....beijos!

    ResponderExcluir
  8. Con todo mi cariño muchas gracias por
    La visita …para mis amigos es un placer
    Recibiros.y seguir con el mismo cariño este blog
    Feliz semana
    Besos
    Marina

    ResponderExcluir
  9. Obrigada, Marina,fiquei encantada
    com a beleza de seu blog. O prazer em tê-la
    aqui é imenso e intenso.
    Bom dia,
    beijos!

    ResponderExcluir
  10. Lucia de nuevo aqui para agradecerte la rapida visita a mi blog y ver que te ha gustado mi primavera ...un cordial abrazo
    Marina

    ResponderExcluir
  11. De primavera, querida Marina, creio que todos gostamos, a SUA primavera,temos é que ADORAR...seu blog é um "manar dos céus", pode crer!
    Saber que você é uma "leoa" (Lion,em português é Leão)me pegou também pela minha ascendênca "galega" (Galíza).Veja meus posts do dia 1º e 7 de março p.p., sobre a Condessa de Ourém. Já fui "Becerra", na Corunha...rsrsrs.
    Meu carinhoso abraço!

    ResponderExcluir
  12. Cada pessoa tem uma historia para contar, eu particularmente amo ler historias de gente do interior, pois nos passam pureza,sabedoria e muita união...gosto, amo ler as suas historias e gostaria muito de ter nascido no interior...to te seguindo e seje bem vinda ao meu blog tbm...boa noite

    ResponderExcluir
  13. Obrigada, Simone, por suas palavras
    e pela visita. Gostei muito do
    seu texto, tanto a prosa quanto
    a poesia.
    Um beijo,
    Lucia

    ResponderExcluir