segunda-feira, 14 de novembro de 2011

GESTAÇÃO : DE FEVEREIRO A NOVEMBRO...9 meses

A CADEIRINHA FOI A "TERMO"... 
 ...MAS EU "VIM" DE CABRIOLÉ !!!



Há dias, lendo uma postagem (de 01/11/11) no blog Fortaleza em Fotos e Fatos, da Fátima Garcia, sobre Cabriolet, veio-me a inspiração de usar essa imagem para comemorar a ultrapassagem, deste blog, Da Cadeirinha de Arruar, de sua 50ª postagem, dos mais de 160 seguidores e dos mais de 20 mil acessos, considerando os 9 meses transcorridos: do mês de fevereiro ao mês de novembro, equivalente a uma... GESTAÇÃO HUMANA...
Este resultado, em números, devo a todos os que me prestigiam com suas visitas e comentários sempre tão carinhosos, carregados de amizade... 
Meus agradecimentos sinceros, a todos, bem do fundo do meu coração.

Amigos, marcando este "tento", hoje publicarei um outro poema de meu irmão, José Maria (B.dePaiva) : BALADA DO ANIVERSÁRIO DE LÚCIA. Esse poema não foi feito para mim, mas, lembro-me bem de que,  quando o livro PALAVRAS E COISAS , no qual está inserido esse poema, chegou às minhas mão, em 1958, sentí-me homenageada pelo mano...("...ela que tem o nome de minha irmã caçula e como todas as lúcias...(...)....". Este poema, fora dedicado à sua amiga Lúcia... minha homônima...!
Adolescente, eu, com 16 anos em 1958, "roubara", para mim, aquela dedicatória... 

O POEMA...

BALADA DO ANIVERSÁRIO DE LÚCIA
(para Lúcia)

... ela a dos olhos pequenos e simples
... ela a dos cabelos louros e medievais
... ela que vive realista os poemas antigos e
                                   [as músicas clássicas.
... ela lúcia, com letra minúscula, que possue
                alma maiúscula e mãos de outono.

... ela que tem o nome de minha irmã
    caçula e como tôdas as lúcias do 
    mundo tem intelectual firmeza no
    falar e singela lembranças dos anjos
    de Miguel Ângelo;

    no dia de hoje, décimo quarto do 
    penúltimo mês, reunidos no tempo e no
             ex-tempo, eu quero-te fazer um poe-
             ma moderno;
    mas que tenho eu para te encomendar um 
    poema? Nada, a não ser eu próprio, sem
    música
              e sem lágrimas...
    então façamos a receita dos versos...
    para que tu encontres um futuro feliz
    partindo deste aniversário para o
    amanhã, e do amanhã voltando
    para o ontem, o que seria preciso?

    bem... tiremos do vigésimo século um
    "blue" que não tenha a incompetência
    dos americanos brancos, mas dos negros
    tenha uma melancolia que não seja 
    dor, mas paz...
    roubemos, de repente, o perfume mais
    alvo da primavera...
    e todas as côres dos mais belos "pôr de 
                                          [sol"  da vida...

    e a graça da luz - andando gorda e de
    prata - vestida de lua do céu....
    e o bordado mais brilhante que as ondas
    desenham nas  praias...
    e a pureza da flor mais bonita do
    campo, da mais inocente, daquela
    que as abelhas só encontram em
    noite de Natal.

    e finalmente, que uma canção de ninar
    de Brahms se aproxime de ti, no teu dia
    mais gláuco, cantada em cores e sons, por
    revoadas de anjos (de menos de um mi-
    nuto)

    e te embale boa e calma, através
    de todas as constelações do Universo,
    e que Deus, quase dormindo (de velhinho)
    Te abençôe por todos os séculos dos sé-
    culos. Amém.


*******

NOTAS
1- Mantive a ortografia e a configuração originais do poema, na época: 1958...

2- A releitura desse poema, hoje, trouxe-me um importante conforto, como se o mesmo tivesse  sido feito bem recentemente e direcionado a mim...na quase totalidade das palavras alí contidas...
Assim, o sentí !!

3- Coincidentemente, hoje é o dia "décimo quarto  do penúltimo mês"...dia do aniversário da "outra" Lúcia ...que eu nunca conheci...
Veio-me a curiosidade de perguntar, ao meu irmão poeta, qualquer dia desses, se ele conhece o "paradeiro" da minha homônima...

4- Quero registrar, aqui, meus sentimentos de imensa gratidão, pelo generoso apoio dos meus queridos amigos, que vieram me trazer alento com palavras de carinho e prova de amizade, em seus comentários, quando incluí, na postagem anterior, o comunicado  da "partida" de meu marido, companheiro  em  mais de três décadas...
 
*******

Estou indo, amigos.....mas eu volto.Um abraço!




67 comentários:

  1. Também me solidarizo com você nesse momento difícil. O poema é lindo e quem sabe, não veio até você no momento certo, pois um poema pode confortar a alma. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. ... Foi também dedicando-me à produção dos meus textos, minha leituras, músicas, amigos e orações que consegui amenizar um pouco... tamanha saudade por mais de três décadas... Solidarizo-me com você. Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  3. O seu cabriolé é muito mais bonito do que o meu, que não tinha cavalos nem passageiros.

    ResponderExcluir
  4. Lúcia,

    "Os poemas são pássaros que chegam
    não se sabe de onde e pousam
    no livro que lês.
    Quando fechas o livro, eles alçam vôo
    como de um alçapão.
    Eles não têm pouso
    nem porto;
    alimentam-se um instante em cada par de mãos
    e partem.
    E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
    no maravilhado espanto de saberes
    que o alimento deles já estava em ti..." (Mario Quintana).

    Um xêro.

    ResponderExcluir
  5. Oi Lúcia! :)

    Gostei muito da sua visita carinhosa.
    Também tenho uma irmã que se chama Lúcia (Maria Lúcia), e gosto muito desse nome.
    (o poema é lindo!)

    Que Deus te abençoe e te guarde, para que você consiga enfrentar, bem fortalecida e da melhor forma possível, esse momento de tão grande dor na sua vida.

    Gostei muito do seu espaço, li muitas coisas por aqui, e voltarei sempre.

    Receba um grande e afetuoso abraço da amiga,

    Cid@

    ResponderExcluir
  6. Lindo o poema e claro que pagarias pra ti, como um carinho do mamo... Um lindo dia, continua firme e bem! beijos,chica

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelos números alcançados, até ao momento, pelo blogue, extensíveis à poesia de seu irmão.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  8. Solidariedade, é o que mais conforta a gente, Yayá, junto à poesia ainda mais, não é?

    Obrigada
    Um abraço

    ResponderExcluir
  9. É exatamente assim, Célia...A gente preenchendo o pensamento com nossas criações, a saudade com as lembranças à elas se misturam, tornado a dor mais amena...
    Obrigada, querida
    Um abraço, da Lúcia

    ResponderExcluir
  10. Pois saiba, querida consogra, que o seu Cabriolé não veio parar aí por estar BLOQUEADO, lá no seu blog "Fortaleza em Fotos e Fatos" rsrsr... Acontece, porém, que eu sei muito bem a razão(tem "aventureiros" lançando mão de tudo, na NET...né não???).

    Tanto o "meu" quanto o "seu" CABRIOLET, são muito lindinhos rsrs...

    Beijos, Fátima

    ResponderExcluir
  11. Estela, amiga, que delícia você me trazer Mário Quintana!!!...e tão adequadamente oportuno!!!

    Obrigada!
    Um XÊRO (maiúsculo!)

    ResponderExcluir
  12. Que bom, Cida, o meu Lúcia tem o Maria depois...
    Gosto do meu nome. Só o meu pai me chamava Lúcia Maria (homenagem à Lúcia (de Fátima) e Maria).
    Obrigada, por ter vindo e com palavras tão carinhosas.

    Meu abraço apertado
    Lúcia

    ResponderExcluir
  13. Chica querida, eu tinha mesmo o direito ao poema, já que o mano me citou e homenageou todas as lúcias do mundo...

    Estou firme e forte, amiga.
    Minha gratidão, pelo carinho.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  14. Olá, AC
    Obrigada, por ter vindo e pelos elogios
    ao blogue e ao poema do mano.

    Um beijo,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  15. Amiga Lúcia;

    De cabriolés pouco entendo. Meu avô tinha um veículo semelhante, que chamávamos de "aranha". Era para poucos, um luxo. Depois vieram os automóveis.

    Bonito o poema do mano. Embora não tenha sido dirigido diretamenta a ti, servistes de referencial para a homenagem à outra Lúcia. Portanto, a homenagem à ti é ainda mais significativa.

    Parabésn pelos números da Cadeirinha. Isso comprova a qualidade do que postas, bem como a tua capacidade de cativar.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  16. Lucinhamiga

    Sentido, o poema lindo. Dedicado a uma Lúcia. Podias e podes perfeitamente ser tu essa Lúcia a quem o mano José Maria dedicou a sua poesia.

    Mas, e agora noutro sentido... sentido também eu com a tua ausência. Sei que estás lutando bravamente contra a infelicidade, a tristeza, a dor. Mas, sentindo que te acompanho - os Amigos são-no principalmente para os momentos menos bons - peço-te que me ligues, nem que só um bocadinho... Sou um choramingas, éoké.

    Por hoje, é tudo

    Xeros da Kel e qjs sentidos para tu

    ResponderExcluir
  17. Clóvis,meu amigo

    Também nada entendo de cabriolé. Não sei meus avós tiveram algo assim...é bem possível! Era mesmo luxento...Quanto aso automóveis, lá em casa nunca teve, meu pai só andava a pé...sempre moramos perto do centro da cidade.
    Obrigada, pela referência ao poema do mano e ao meu "poder de conquista" rs

    Beijo

    ResponderExcluir
  18. Antes de responder aqui, sentido Ferreiramigo,
    saí em disparada para a Travessa, comentei e justifiquei a minha nem tão longa ausência...
    Não chore, porém, criança, "pois nem tudo está perdido, quando resta uma esperança"...dizia o lobo mau ao "capuchinho vermelho...rsrsrs

    XÊROS na Kel e nim tu,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  19. Querida Lúcia

    Os meus parabéns pelos 9 meses de 'A Cadeirinha de Arruar' que muito já nos contou e que muito mais tem para nos contar. Sou sua seguidora e tenho grande prazer nisso.Não dispenso vir aqui instalar-me e correr os olhos pelos seus escritos, pelas viagens ao passado, pelo baú das recordações com as quais muitas vezes me identifico. :)

    Adorei o poema do seu irmão dedicado à sua homónima, feito com tanta magia e sabedoria.

    Beijinhos.

    Olinda

    ResponderExcluir
  20. Lúcia amiga,boa noite!!!

    E bons dias,boas tardes e suaves madrugadas...que te tragam alento e conforto,ânimo e coragem.

    Belo,muito belo o poema de teu irmão e podes,realmente sentí-lo teu,pois é a tua descrição e porque ele,ao escrevê-lo, em ti pensou também.

    Um carinho grande,amiga.
    Bjssssssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  21. Querida Lucinha
    O poema é lindoooo...
    Mas, o melhor de tudo foi te ver de novo aqui.
    Como te sentes, irmã?
    Já vi o teu comentário no meu blog mas, só respondo logo.
    Hoje é um dia triste para mim. Um dia conto. Não agora porque estás ainda dorida. Um dia...
    Beijo grande da
    Maria

    ResponderExcluir
  22. Bom dia Lúcia!
    Esses números dessa "gestação", tens por que és merecedora e aqui encontramos histórias incríveis.
    Viajo no tempo e no espaço quando venho aqui.
    Desejo sempre prosperidade ao seu blog.
    Xeros

    ResponderExcluir
  23. Olinda, Querida Amiga...

    É bom saber de sua identificação com alguns escritos meus. Aliás já havia percebido, por eu
    sentir o mesmo com muitas passagens suas, no que escreve em seu lido Xaile de Seda. Temos mesmo, muito em comum.

    Obrigada, pelo carinho.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  24. Querida Leninha

    Obrigada, pela força que traz, pelos elogios, pelo carinho tão querido. Sinto-me bem, amiga.

    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  25. Maria, irmã querida

    Estou bem, amiga...serena e forte.
    A vida é cheia de sentimentos diversos.
    A tristeza é a que mais perturba. Quero
    que me conte, qualquer dia, a tua de hoje...

    Carinhoso abraço,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  26. Olá, Ana Karla

    Sinto-me feliz por suas generosas palavras.
    Tenho me empenhado para oferecer, da melhor
    forma, as minhas histórias...Obrigada,pelos
    votos de prosperidade e continue viajando por aqui.

    Meu xêro, amiga

    ResponderExcluir
  27. Lúcia, querida amiga
    Tenho estado doente desde sábado. (Por sorte já tinha agendado o post para domingo… se não teria falhado a postagem.
    Não tenho posto os pés – melhor dizendo, as mãos… - no PC.
    Já estou um pouco melhor, mas não completamente bem. Não está a ser fácil, mas há-de ir ao lugar… Ainda não consigo estar aqui muito tempo seguido, tenho que intervalar:)
    É hoje o primeiro dia, depois desta interrupção, que aos poucos, vou visitando os blogs amigos.
    Fiquei... apalermada com a notícia da perda que atingiu vc. É incrível como as coisas acontecem sem que possamos intervir...
    Felizmente vc está a reagir inteligentemente, ou seja, com coragem.
    A vida continua e temos que seguir em frente.
    Um apertado abraço solidário, minha querida.

    Estive a ler as duas postagens, mas tive que fazer um pequeno intervalo. A minha cabeça ainda não está lá essas coisas:)))

    Nem preciso dizer como gostei do poema dedicado à 'outra ' Lúcia, mas que assenta em vc como
    uma luva!

    Continuação de boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  28. Querida Lúcia,
    Já passei antes, mas o comentário não seguiu.
    Fiquei deveras estupefata quando li a notícia.
    Vejo que a sua forma de estar no mundo, eleva-a para algo mais alto. Isso, ajuda a caminhada.
    Amigos, são para isso. Dar um abraço, nas horas frias.
    O meu abraço, Lúcia.

    ResponderExcluir
  29. Mariazita, querida amiga

    É muito confortante, tê-la aqui, trazendo-me
    palavras confortantes, cheias de carinho e amizade.
    Obrigada, por tudo.
    Desejo-te saúde plena.

    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  30. Manuela querida

    Obrigada, foi tudo mesmo muito brusco, mas
    costumo "administrar" com serenidade situações
    assim. Parece que, quanto maior a dor, mais equilibrada é a minha reação. O racional, dá lugar
    ao emocional. Vou em frente, mas curto a saudade das lembranças boas que me restaram. Sou assim!

    Obrigada, amiga, por ter vindo com seu carinho.

    Meu abraço!

    ResponderExcluir
  31. Antes de mais quero manifestar a minha alegria por vê-la de novo por aqui, pois é um bom sinal. Os meus parabéns pelo sucesso alcançado pelo seu cantinho, o que não me espanta, pois é um lugar acolhedor e sempre com conteúdos muito interessantes. Adorei o poema e não importa que não tenha sido feito para a Lúcia; o que interessa é que se deliciou com ele e que teve a oportunidade de o partilhar com todos os seus seguidores. Muito obrigada por isso e espero sinceramente que esteja mais animada. Não é fácil, mas tem que se aceitar o que a vida nos dá da melhor maneira possível. Um grande abraço.
    Emília

    ResponderExcluir
  32. Querida, Lucia!

    Como me faz bem vir aqui! Como me deleito com as suas postagens, sempre tão significativas, e tão recheadinhas de saudades e de amor.
    A imagem do Cabriolet me deu uma saudade de tempos que não vivi, mas, que gostaria de ter vivido, porque foram tempos românticos, assim como românticos são os versos do poeta...
    Parabéns pelo sucesso da Cedeirinha! Não podia ser diferente.

    Beijinhos nordestinos e bem brejeirinhos
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  33. Minha querida Lúcia,

    Também eu,como tu,em momentos tempestuosos,sinto o meu lado racional aflorando,sempre...no dia a dia aparento uma fragilidade tal que as pessoas se surpreendem com a minha força em tempos difíceis.
    Que Deus continue te dando forças em tua caminhada.
    Bjsssss
    Leninha

    ResponderExcluir
  34. Emília minha amiga, fico muito grata por meu retorno, tão logo, deixá-la feliz...e também pelos parabéns ao meu "sucesso" rsrs...
    Estou mesmo bem no enfrentamento do que eu não esperava, tão cedo! A vida, tem encantos e desencantos:o mais prudente, é aceitá-los, quando nada há a fazer...

    Forte abraço,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  35. Socorro, Querida!

    Fico feliz, em saber vindo aqui há um deleite com as minhas postagens, como você gosto de contar momentos vividos por mim

    Obrigada, pelo carinho...
    Retribuo, os beijinhos nordestinos e bem brejeiros. Com mais um xêro,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  36. Querida Leninha

    Então somos semelhantes, no enfrentamento das grandes "tempestades"!!! É que sabemos, amiga, que depois delas vem a Bonança!!!

    Obrigada, pelo grande carinho.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  37. Querida já gostava da cadeirinha, mas o cabriolé é um luxo!
    O poema do teu irmão é belíssimo! Esta Lúcia devia ser uma linda beldade para ser merecedora de tão linda homenagem no seu aniversário.É o tempo não teria sentido se não fossem as lembranças!
    Deixo aqui meu carinho especial, a você, lamentando a grande perda na tua vida, desejando que teu coração encontre serenidade nas lembranças dos bons momentos vividos e compartilhados.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  38. Quanto carinho e gentilezas, Eloah, nas suas doces palavras. Este poema está sempre por perto, bem guardado no Palavras e Coisas, entre os outros livros.
    As lembranças dão mesmo sentido à vida, com seus significados. Agradeço, amiga, a força que me trouxe.
    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  39. Minha Querida Lúcia:
    Tenho pensado muito em si e no seu sofrimento e verifico, com gratidão a Deus, que está a a lutar com todas as suas energias, para gerir esse sofrimento de forma serena e equilibrada. Mulher de coragem!
    Saiba que estou aqui sempre que precisar.
    Um abraço muito apertado.

    ResponderExcluir
  40. Querida Isabel
    Fico muito grata, por sua atenção e preocupação comigo. Aprendi a resistir e enfrentar as dores com coragem e serenidade. Sempre deu certo...
    Sei que posso contar com um ombro amigo e solidário.
    Também te aperto,
    num forte abraço, minha amiga.

    ResponderExcluir
  41. Vim agradecer e deixar um beijo, desejando um lindo domingo,esperando que estejas bem!chica

    ResponderExcluir
  42. Agradeço de coração sua visita
    perdoe o atraso em retribuir seu carinho
    que tanto bem me faz.
    Logo terei boas novas se Deus quiser
    creio que você ficara feliz como
    estou .
    Quero avisar quando tudo estiver tudo pronto
    espero muito breve poder deixar postado minha alegria no blog.
    Na vida não temos somente tristeza derrepente esquecemos
    tudo Deus nos faz sorrir novamente.
    Um abraço bjs no coração.
    Um feliz e abençoado Domingo.
    Evanir

    ResponderExcluir
  43. Que lindo poema! Homenagem que nasceu na pureza de sentimentos. Outras gestações viverá em nosso mundo virtual, sempre conquistando amigos e encantando-os com as postagens.
    Espero que já esteja com o coração mais sossegado. Não é fácil lidar com perdas, principalmente quando o que nos é tirado faz parte de nós.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  44. Lúcia

    A Cadeirinha de Arruar viu a Luz há nove meses. Viu a Luz na sua Geração.
    Efectivamente, nascemos quando somos gerados e só despertamos para o Mundo quando assomamos para o olhar.
    Trocadilhos de palavras para dar-te os Parabéns, para elogiar o magnífico Poema do teu Mano, para me associar á Festa.

    Beijos

    SOL
    http://acordarsonhando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  45. Querida Evair
    Com certeza, ficarei feliz com suas boas novas.
    A vida tem toda a gama de sentimentos. Só com tristeza, não resistiríamos, a alegria há que vir contrabalançar, se espera...
    Bom domingo, amiga.

    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  46. Perdoe-me Evanir...ter suprimimo o n de seu nome.

    ResponderExcluir
  47. Faltava a Luz do SOL,nessa FESTA!!!

    Disseste-o bem, amigo, nascemos na Geração.
    Após os nove,aí sim, surge o Olhar livre, para o Mundo...
    Obrigada. pelas carinhosas palavras.

    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  48. Marilene, Querida,
    Fico-lhe muito grata, pelas confortantes palavras.
    Meu coração está sossegado, mesmo com a dor da ausência que naturalmente persiste e que só com o passar do tempo vai amenizando, por certo...

    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  49. Querida amiga o poema do seu irmão é lindo. Amiga deixei no meu cantinho um obrigado aos Amigos, mas como sei que está passando por um período bem dificil da sua vida, venho até à sua casa virtual para agradecer a sua companhia na minha estrada da vida e para lhe dizer como aprecio e admiro o seu blog, um cantinho muito Especial.
    Desejo do coração, que a sua dor consiga ser um pouco mitigada pelas boas recordações.
    Bom domingo
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  50. Boa tarde Lúcia,parabéns, o poema é lindo e seu espaço é retrato de boas energias, bjks e que sua semana seja iluminada.

    ResponderExcluir
  51. Maria, querida amiga
    Obrigada, pelo carinho. São as palavras de
    de conforto de amigos assim que nos fazem suportar
    as dores que sentimos. Irei, ao seu cantinho, em
    breve, retribuir o seu carinho.

    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  52. Obrigada, Lo, querida
    Procuro manter a serenidade, para seguir
    minha caminhada. Caminhar, é preciso!!!

    Beijinhos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  53. Olha eu voltando aqui e tomando aquele banho de cultura! Adorei o poema! Parabéns!
    Abraços, Prof. Adinalzir

    ResponderExcluir
  54. Grande satisfação, tê-lo de volta,Prof. Adinalzir,
    Obrigada, pelo elogio e Parabéns!

    Abraços,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  55. Saiba Lúcia, minha querida, que seu canto é muito especial e ímpar.
    Gosto das suas postagens por trazerem partes marcantes que devem ser preservadas na história de todos nós e você sempre o faz - preserva cada passagem de sua vida e de suas origens.
    Grande abraço.
    Que muitas outras gestações venham nestas páginas, que este bebê continue a crescer nesta tuas palavras carregadas de sensibilidade.

    ResponderExcluir
  56. Lucia
    E sempre interessante ver que voce tem estes poemas históricos. Eu tenho algumas cartas mas não tão antigas!
    com amizade e carinho de Monica

    ResponderExcluir
  57. Querida amiga

    O tempo
    é breve
    diante da ternura.

    Que haja muitos
    motivos
    para celebrar a vida
    deste espeço,
    suas ideias
    e seus sonhos.


    Viver é se fazer eterno
    para o coração de alguém.

    ResponderExcluir
  58. Obrigada, Malu querida
    Preservo, com imenso prazer, minhas histórias
    e gosto de contá-las. Gosto mais ainda de saber
    que há retorno, quando recebo comentários tão carinhosos...

    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  59. Querida Mônica
    Que bom que você veio, estava com saudades.

    Gostaria de ver essas cartas, em suas postagens.
    Que importa que seja "menos" antigas, que os poemas que posto...

    Beijinhos,
    da lúcia

    ResponderExcluir
  60. Querido amigo Aluisio
    Gosto de suas palavras, sempre em forma
    de lindas poesias.

    Obrigada!
    Abraços,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  61. Olá Lúcia,
    Vim te dar um ABRAÇO e um XÊRO.

    ResponderExcluir
  62. Querida Estela,
    Só agora, recebi o ABRAÇO e o XÊRO...
    Reeeeeeeeetttttttrrrrrrrriiiiibbbbbbuuuuuuuoooo...

    ...um ABRAÇO e um XÊRO, amiga!

    ResponderExcluir
  63. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  64. Exclui a postagem, pois pulei algumas palavras, mas está ai de volta, acho que agora inteira...

    Que bom Lúcia poder ler essa postagem. Estou feliz em saber de sua força e me deliciando na poesia. Tomar pra si o que na verdade foi escrito para outra pessoa, acaba por provar o quanto de nós pode habitar no outro, né? Se assim não fosse, como poderíamos viajar por versos e versos dos poetas magistrais? Se os sentimentos fossem só deles, como poderiam ecoar em nós?
    Pode ter certeza, esse poema é SEU. Seu e de todas as Lúcias que se acharem nele. Lindo!
    Bjks com o meu carinho maior
    Renata

    ResponderExcluir
  65. Só hoje, vi esse seu comentário, Guidinha.

    Obrigada, pelo carinho.

    Beijos,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  66. coisa mais linda este poema!
    eu diria "coisas do interior" mas é melhor: "maravilhas do nosso Brasil"
    cara colega,estou buscando realmente conhecer este espaço,ele merece!
    e deixo aqui meu agradecimento por sua constante participação lá em luznopapel!
    saudações!!!

    ResponderExcluir