sábado, 16 de abril de 2011

LETRAS das 7 CANÇÕES que MAMÃE mais CANTAVA - I I

Antes de lhes mostrar a canção de nº 2, desta série de 7, quero
fazer a apresentação de Márcia Paiva, cantora e compositora. Foi a
Marcinha, dileta sobrinha, neta da Dona Mazé, que "deu vida"
ao CD  de comemoração ao 1º Centenário de Nascimento de minha
mãe. Hoje, 16 de abril, a Márcia aniversaria e eu quero fazer-lhe uma singela homenagem.
Aproveito, o ensejo, portanto, para divulgar o último CD que ela gravou, após ser selecionada no Edital de 2010, da Secretaria de


Neste exemplar, do CD autoral  "Do meu jeito" está
a dedicatória escrita para mim, no dia do lançamento,
no Centro Cultural Oboé da Aldeota, no dia 12/01/11


Cultura do Estado do Ceará - SECULT. São todas autorais, as 10 músicas gravadas, "traduzidas" ,singularmente, no título :"Do meu jeito".
Acredito que minha mãe "aprova" essa minha atitude, até porque a Marcinha, além de sua neta, era sua afilhada de batismo.
Feliz Aniversário, querida sobrinha, muito sucesso para para o seu cantar...


                                        *************

Concluida a homenagem à Marcinha, vamos à letra da canção 2,
"O Jangadeiro", que mamãe cantava, cantava, cantava e cantava....


Não há dúvida de que o jangadeiro foi a inspiração para a
canção  "O Jangadeiro". Pena, eu não saber o nome do autor...
A foto, foi "salva" da Wikipédia, desconheço, também, o autor...

Letra da canção 2

O JANGADEIRO

Era o meu lindo jangadeiro
De olhos da cor verde do mar
Como era lindo e traiçoeiro
Fingiu-me tanto o seu olhar

Ele passava o dia inteiro
Longe nas águas a pescar
Eu intranquila o seu veleiro
Lá no horizonte a procurar

Quando a tarde escurecia
Ouvia o sino a repicar
A badalar Ave-Maria
E uma vela sobre o Mar

Era o eu lindo jangadeiro
Em seu veleiro a regressar
E na praia o seu olhar primeiro
Buscava ancioso o meu olhar

Quando ditosa eu me sentia
Passava o dia a cantar
A ver se em breve escurecia
Hora feliz do seu voltar

Mas há na vida sempre um dia
Dia de um sonho se acabar
E este foi em eu não via
O seu veleiro a regressar

Não mais eu vi o seu veleiro
Não mais o vi por sobre o mar
Seu olhar lindo e traiçoeiro
Não buscou mais o meu olhar

E numa tarde alvissareira
Ouvi o sino a repicar
Era o meu lindo jangadeiro
Que ia com outra se casar

                 *******


Já estou indo................mas eu volto, um abraço!




           

20 comentários:

  1. Olá, Lúcia
    Minhas primeiras palavras são: Parabéns, Marcinha, pelo aniversário, e toda a felicidade do mundo para vc!

    Tenho pena de não poder acompanhar diariamente este blog, porque, como já tive oportunidade de lhe dizer, apresenta posts com muito interesse.
    Talvez daqui por algum tempo eu o possa fazer... quem sabe?

    Acho lindas as letras das canções que Dona Mazé mais cantava. Imagino que cantava bem, a adivinhar pela voz da neta (fui ver ao Youtube...)

    Tenho pena mas tenho que me retirar. Amanhã é dia de post novo (não sei se lhe disse que posto ao domingo) e ainda só o tenho meio alinhavado.

    Bom fim de semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Olá querida,gosto de passear por aqui, quero ver se consigo vir mais vezes!
    Obrigada pela sua visita no meu cantinho e pelas palavras de imensa bondade e carinho, muito obrigada!
    Fk na paz.
    Marly

    ResponderExcluir
  3. Olá, Mariazita,
    muito bom vê-la aqui. Somos mesmo
    escravos do tempo, muitas vezes
    êle não é o bastante para nossos
    afazeres. Estava agora, na festinha
    da Márcia e ela leu o seu comentário,
    quando mostrei-lhe o post.Pediu-me
    que lhe agradecesse.
    Beijos, bom domingo...

    ResponderExcluir
  4. Marly,amiga,tenho passeado
    pelo seu cantiho pela paz que
    dele emana.Venha sempre,
    trazendo suas tranquilas
    palavras
    Beijinhos,
    Lúcia

    ResponderExcluir
  5. Gracias por su comentario, mi estimada amiga brasileira. Su blog me encanta: denota sensibilidad, amor a la vida y a las personas, gusto artístico... Lo frecuentaré.
    Un beso desde Madrid.

    ResponderExcluir
  6. Querida Lúcia
    Esta não conhecia mas, o poema é lindo. Cheio de amor, esperança, desilusão e dor.
    Gostei muito.
    Beijinho
    Maria

    ResponderExcluir
  7. Antônio,, meu amigo madrilheño,
    grata por dua presença e pelas gentís
    palavras, que bem diz o poeta que é.
    Um beijo...

    ResponderExcluir
  8. Mariazinha, não imgina você, como era
    apaixonante ouví-la cantar. Cheguei
    a pensar que ela tivera um amor jangadeiro
    antes do "Zé"... meu pai..rsrsrs
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Gracias por seguirme....me encanta su belleza espiritual...lo que escribe lo leeré más...
    Gracias mi buena amiga, mi cariño para esa querida Tierra suya y para Vs.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia, Lúcia
    Marcinha não tem o que agradecer... quando muito pode desejar que eu lhe apresente parabéns durante muitos anos mais :)

    Gostei muito de seu comentário na minha «CASA». Obrigada!

    Voltarei quando houver novidades ou, à falta delas, para desejar boa Páscoa.

    Uma semana com muita Luz e amor. Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Francisco, sua poesia é belíssima. Conheço alguns poetas de língua esponhola,que eu não
    escrevo nem falo, mas tudo entendo.
    Grata, por seguir-me. Volte sempre.
    Obrigada, pelo carinho.

    ResponderExcluir
  12. Mariazita, respondi primeiro seu comentário do post de hoje.Sua postagem de ontem foi excelente, como sempre.
    Feliz semana
    Beijinhso

    ResponderExcluir
  13. Querida, a autora desta canção é Stefana de Macedo, foi gravada por Inezita Barrozo. Minha mãe tbém cantava muito essa canção, obrigada pela doces recordações da minha infância!

    ResponderExcluir
  14. Vera Lúcia, querida, maravilhoso você me trazer o nome de Stefana de Macedo, como a autora dessa linda canção que nos acalentou na infância.
    Porei uma "NOTA" na próxima postagem.
    Obrigada, por ter vindo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Querida Lúcia,de novo estou na sua "cadeirinha"...e qual não foi a minha surpresa ao ver a canção Jangadeiro,que minha saudosa mãe tocava e cantava para meu pai,seu eterno namorado...obrigada,querida,por mais esta recordação.Bjsss,Leninha.

    ResponderExcluir
  16. Que bom, Leninha,
    proporcionar a você tão grata
    recordação...obrigada, pela visita...
    Um carinhoso abraço

    ResponderExcluir
  17. Querida Lúcia,
    Estou navegando em seu blog, tentando ver postagens passadas.
    Esta do Jangadeiro me emocinou muito. Eu tinha um Tia e por ela tinha paixão uma segunda mãe. Ela perdeu o noivo, que foi assassinado. E vvia cantando esta música. Vou copiar e colar. E ler e reler.
    Amiga, você sabe como ninguém cutucar saudades.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Cutuco, porque sinto, querida amiga...
    Fique à vontade, Dalinha, isso aqui é
    nosso, e é tão bom compartilhar.
    Um cheiro

    ResponderExcluir
  19. POR FAVOR, PUBLIQUE AQUI um comentário que enviei há mais de 8 meses atrás e responda a pergunta que eu havia feito. Meu nome é Rafael, trabalho com pesquisa musical e gostaria de saber a relação de todas as faixas desse disco e os nomes dos compositores de cada faixa desse disco. Conto com a sua compreensão e boa vontade em me ajudar, se possível.

    ResponderExcluir
  20. Rafael, só agora vi esse seu comentário.
    Há dois discos (CD) gravados por Márcia Paiva. O que ela gravou com as músicas que minha mãe cantava, não foi comercializado e as músicas são antigas, não sei o nome dos autores.
    O CD "Do meu jeito", é autoral, ou seja, todas as 10 faixas são de autoria de Márcia Paiva:

    1- Te amo 6- Não te esqueci
    2- Posso sentir 7- Será
    3- Do meu jeito 8- Nosso Samba
    4- Falta pouco 9- Gosto tanto de você
    5- Reluz a vida 10-De repente

    Não sei se satisfiz a sua pergunta.

    ResponderExcluir