quarta-feira, 7 de setembro de 2011

PAPAI CANTAVA...( II )

MODINHA... 
 

Lá em casa, tínhamos dois cadernos, do tipo colegial, grande, nos quais haviam, em média, em cada um deles, 80 letras de canções, sendo algumas delas para serem cantadas em dueto. Era escrito em belíssima letra cursiva. Segundo meu pai, fora manuscrito por sua tia Luizinha, irmã de sua mãe. Muitas dessas canções, papai
conhecia de cor e as cantava, de vez em quando, para nós...
De tanto ele cantar, guardei a melodia de muitas delas.
Abaixo do título das letras dessas canções, na maioria delas , não havia o nome do autor. Aliás, muitas delas nem sequer possuem
título, apenas, é sugerido o "gênero" musical: valsa, serenata, hino, lundu, modinha...Na verdade, nesse total de cerca de 160 letras, boa parte, eram poesias...Abaixo do título de alguns poemas, aparece o nome do autor. Dentre esses poetas, estão :
Gonçalves Dias, Paulo Barros, Juvenal Galeno, Casimiro de Abreu,Castro Alves, Alvares de Azevedo, Soares Passos e  outros...
Sabe-se que, muitos desses poetas tiveram seus poemas musicados, 
como, por exemplo, Juvenal Galeno e Casimiro de Abreu...

Para a postagem de hoje, elegi uma "MODINHA", para ser cantada em "DUO". À medida em que eu for digitando a letra, estarei entoando, em silêncio, a melodia...
Tenho um projeto de registrá-la (e à tantas outras) em CD, na voz 
de Márcia Paiva, nos mesmos moldes que procedi com as "Canções Prediletas de Dona Mazé", cujas letras publiquei neste "espaço", no último mês de abril...Preciso registrar as melodias, para que não se "percam". Tenho, por "obrigação", repassá-las às novas gerações...ao menos, aos descendentes de "Dona Mazé" e  "Seu Paivinha" (nomes com que minha mãe e meu pai eram conhecidos).


Essa modinha, em duo, que hoje trago a letra, meu pai quando a cantava, fazia-o com imensa  alegria. Lembro-me que  a cantava 
sempre sorrindo. A explicação, por entoá-la a sorrir, é que os "personagens", do dueto, chamam-se MARIA e JOSÉ... O primeiro nome de mamãe, é Maria (Maria José), e o de meu pai é José (José Joaquim). Vejam que, à cada quadra que o personagem José canta, Maria responde, falando, apenas com uma pequena frase, às vezes exclamando, outras vezes interrogando...
Bem, sem mais delongas, passo à digitação da letra da tão prometida cantiga:


MODINHA 
(duo)

I
-Ai não me fites teus olhos
Com tamanha ingratidão
Pois tu bem sabes que moras
Dentro do meu coração

- Eu, não!

II
-Eu moro lá na casinha
Ao pé dos montes d'além
Falar não ouso de amores
Nem quero amar a ninguém

-Eu, também!

III
-Maria de ti distante
Minh'alma saudosa chora
Fala, diz, responde, ingrata
Que será de mim agora?

-Vá-se embora!

IV
-E tu dizes, vá-se embora
Que tão frio desamor
Pelo que vejo desprezas
Os meus extremos de amor

-Sim, senhor!

V
-Oh! que vergonha que sinto
Quero dizer-te e não digo...
Sim, Maria eu quisera
Poder casar-me contigo


-Comigo?

VI
-Sim contigo que receias?
Desejo ser teu somente
Quero te ver ao meu lado
Sempre risonha e contente

- Não mentes?

VII
- Eu mentiroso Maria?
Me julgas disso capaz?
Sei respeitar a memória
De meus avós de meus pais

-Que rapaz!

VIII
-Sou bem disposto bom moço
No campo sei trabalhar
Fala, rseponde, Maria
Queres comigo casar?

-Vou pensar!

IX
-Oh! que prazer! que folia!
Na nossa bela função
Eu vestido n'um casaco
E tu n'um branco roupão

- De balão!

X
-E as nossas boas vizinhas
Todas te olhando de pé
Uma à outra segredando
-"Como vai lindo o José!"

- Quando é????

*******
NOTAS:
1-Os  dois cadernos, aos quais me refiro acima, ainda existem, encontrando-se hoje no acervo que
pertencia ao meu pai, sob a "guarda" de meu irmão mais velho, José Maria Bezerra de Paiva, residente em Brasília. No entanto, guardo comigo uma cópia, dos referidos cadernos, para consultar...quando a memória "falha"....

2- Quem tiver interesse em conhecer as "Canções
Prediletas de Dona Mazé", irá encontrá-las nas
sete postagens, que aqui publiquei, a partir do dia15 do mês de abril do corrente ano...

3- Boa parte das letras das canções registradas, nos dois cadernos, são de origem portuguesa, dizia meu pai, como por exemplo, a que foi publicada hoje...


4- Márcia Paiva, é minha sobrinha, tem uma bela voz, e foi ela quem gravou, em CD, as "Canções Prediletas de Dona Mazé" quando da comemoração dos 100 anos de seu nascimento. As
letras dessas canções, constam na postagem do dia
14 /04/2011. O cd não foi comercializado, foi distribuido, apenas, para os amigos e a família.

5- A imagem, no início desta postagem"salvei-a" no google,(mercado livre), sendo escolhida para ilustração, por se tratar de um tipo de cartão postal (post card) muito em voga nos anos 1920. Papai e mamãe, se "enamoraram" no final dessa década...e se casaram no dia 12 de setembro de 1931, há exatos 80 anos...Era Primavera!!! 




Por hoje, é só................até mais, um abraço!










79 comentários:

  1. Que belas lembranças, Lúcia.

    Coincidentemente a Torre também traz versinhos, parte de uma dança aqui do sul, a Meia-Canha.

    Parece que estamos sintonizados.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Oi lúcia!
    Ler teus escritos fazem sempre muito bem á minha alma! Obrigadoooooooooooooo.

    Beijinho com carinho.

    ResponderExcluir
  3. Lúcia,
    Esses cadernos, essas modinhas são relíquias que devem ser perpetuadas... e melhor ainda se gravadas na bela voz de Márcia, para que não se percam da memória.
    A imagem foi muito bem escolhida.
    Um xêro.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Lúcia!
    Vi o seu Blog e achei uma graça com textos incríveis. Já sou seguidora.
    Convido você a conhecer Sapatinhos da Dorothy, se gostar me siga também para trocarmos ideias.
    Abraço,
    Sandra

    Sapatinhos da Dorothy

    ResponderExcluir
  5. Relíquias, sabe Lúcia, são tais lembranças perpetuadas desde nossa infância... Sustento para nossos dias hoje. Cheiro de família no ar! Coisa rara hoje em dia! Obrigada por partilhar seus momentos conosco! Abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  6. Quasímodo,ou,Clóvis amigo, sei que são belas
    estas lembranças,preciosíssimas! porisso as trago para voes...Vou já à Torre conferir a Meia-Canha.

    Que bom, estarmos sintonizados!
    Um xêro

    ResponderExcluir
  7. Querido José, que bom fazer bem à sua alma.
    Fico feliz!
    Meu carinhoso abraço

    ResponderExcluir
  8. Oi Sandra, obrigada, por suas palavras.
    Logo irei conhecer Sapatinhos da Dorothy.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Célia,amiga, as recordações da infância,
    são relíquias de inestimável valor e que devem
    ser preservados.É de se lamentar, a raridade.
    Tem mesmo, cheiro de família.
    Obrigada,pelas belas palavras...
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Estela, querida, perdoe o "salto" que dei para
    responder ao seu comentário.
    Estarei em Brasília, a última quinzena de Setembro e já vou acertar com o meu irmão
    o projeto da gravação, em estúdio, na voz da Marcinha, das relíquias musicais. Acompanhe, as próximas...

    Um Xêro

    ResponderExcluir
  11. Olá!!

    Muito bom ler você, bate um saudosismo daquilo que se quer vivi...muito obrigado por dividir!

    Um beijo enorme e uma ótima tarde!
    Espero por você no Alma!

    ResponderExcluir
  12. Tuas postagem cheias de lembranças são maravilhosas. Logo que publicaste não podia comentar e ler.Salvei o link e agora vim me deliciar! Adorei! Grandes tesouros os cadernos.,beijos,chica

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lúcia...
    Que delícia ler seu comentário, amiga!
    Tão delicado e gentil....claro que virei em seus posts....apenas não vi sua foto tão charmosa em meus seguidores....
    Te aguardo, amiga
    Bjins

    ResponderExcluir
  14. Olá amiga Lúcia!
    Que coisa linda esta letra...É uma reliquia que deve ser perpetoada!!!Parabéns!!!!
    Obrigada pelo seu lindo comentário lá no meu bloguito!!!Fiquei feliz ao saber que você adotou uma gatinha deficiente visual,parabéns por ser esta pessoa linda e com um coração tão cheio de amor!!!Já estou te seguindo também e vou levar seu link para o meu blog pois não quero perder nada!!
    Um maravilhoso fim de semana para você e sua família.
    bjossssss

    ResponderExcluir
  15. Oi, Vinícius, sinto saudades do que vivi
    com amor, me faz um bem enorme reviver assim,
    repartindo...Obrigada, hoje vou visitar o Alma.
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Oi, chica, gosto de passar essas lembranças
    adiante. Os cadernos, são mesmo uma relíquia.
    Obrigada, amiga, pelo carinho.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  17. Já fui Sandra, deixando uma outra
    foto, também "charmosa" rsrs...Obrigada, por "cobrar" rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Oi, Cacau. Obrigada, pela visita. Adorei o seu
    blog, principalmente seu amor aos animais, à natureza. Minha gatinha, é meu xodó, meiga e linda.
    Bom final de semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Lúcia,
    Que post mais lindo, e como me fez lembrar dos meus pais.
    Minha mãe tinha uma voz linda, e tenho muita memória musical dos meus tempos de criança, e dos outros tempos.
    Cheguei há pouco de viagem, e depois voltarei para conhecer melhor seu blog.
    Obrigada por sua visita aos meus blogs.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. Um encanto estas estrofes. Uma terna recordação.
    Beijos.
    Bom fim de semna.

    ResponderExcluir
  21. Olá Heloisa, obrigada! Tanbém tenho boa memória
    musical. Bom, que tenha gostado, para recordar...
    Voltarei aos seus blogs, gostei muito.
    Beijo

    ResponderExcluir
  22. São mesmo lindas. A ternura permanece, sempre!
    Bom fim de semana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Oi Lucia!
    Que bom recordar..essa herança vale mais do que ouro!
    Laços de amor, transmissiveis, guarde bem, devem serem únicos.
    Até breve e Paranéns
    Herminia

    ResponderExcluir
  24. Lúcia querida,belíssima recordação!!!Estou aqui a imaginar vocês reunidos ao redor do pai tão amigo,cantando com ele,vivenciando momentos inesquecíveis...e vem uma saudade boa de momentos,
    semlhantes a estes,numa casa de fazenda,com amigos cantando,amigos estes que já se foram para um outro plano,mas cuja recordação está e estará sempre em minha memória...viu,amiga,você sempre me faz viajar,com a beleza e intensidade de seus textos,repletos de emoção.
    Bjsssssss acompanhados de uma grande ternura,
    Leninha

    ResponderExcluir
  25. A memória é a moldura do passado. A sua moldura brilha, sem ofuscar o que lhe vai por dentro.

    Belo texto. Ana

    ResponderExcluir
  26. Lucinha amiga
    Que ternura de canção! Adoro música brasileira de todos os tempos. Os "chorinhos" de Chiqinha Gonzaga me enternecem muito. Este poema faz lembrar algumas Xácaras portuguesas lindas.
    Obrigada, querida.
    Xêros para ocê
    Maria

    ResponderExcluir
  27. Sabe sempre tão bem recordar as boas lembranças do passado. Que linda cantiga.
    Bom domingo e uma excelente semana.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  28. Vale sim, Hermínia, mais que ouro, daí esse
    meu empenho em preservar e, ao um só tempo,
    transmitir essa herança, à família e aos amigos.
    Obrigada, pelo carinho...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  29. Você sabe bem, Leninha, o quanto é bom
    recordar esses belos momentos. Não é com
    nostalgia, é com plena felicidade...
    Obrigada, amiga, pela amizade tão querida...
    Beijos carinhosos

    ResponderExcluir
  30. Perfeita, Ana, sua definição para memória.
    Fico grata, pelas delicadas palavras...
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Maria,irmã querida
    Nossas afinidades, são incríveis.
    Chiquinha Gonzaga, está no meu rool
    de preferências. Obrigada, querida!
    Xêros ternurentos

    ResponderExcluir
  32. Oi, Maria
    O seu "sabe", me lembra as cunhadas goesas,
    que moram em Lisboa (outras em Goa). Gosto
    desse verbo usado assim rsrs (no Brasil, não se
    emprega assim...). Tão bom, recordar!
    Obrigada, pelo gostoso comentário, amiga.
    Boa semana, beijinhos

    ResponderExcluir
  33. Querida Lúcia

    Bom Domingo

    Adorei este seu post com a continuação das canções que o seu pai cantava.
    Isto tudo é muito gratificante para mim,pois faz-me lembrar o meu pai que tocava viola e...assobiava. Dizia ele que não tinha boa voz. A minha mãe tinha uma linda voz e lembro-me sempre das canções que ela cantava e que eu e os meus irmãos aprendemos através dela...
    Ao fim e ao cabo, as suas recordações trazem até nós as nossas próprias recordações.

    É muito bom esta troca!

    Beijos

    Olinda

    ResponderExcluir
  34. Olá, querida. Passei pra deixar meu beijo carinhoso e votos de uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  35. Vim agradecer a tua visita no meu Blog e retribuí-la.Amei teu Blog.Quanta beleza se guarda através dos anos.O tempo não teria sentido se não fossem as lembranças.Trazê-las para a memória enriquecem a nossa história.Vim, gostei e voltarei sempre.Já me instalei.Um forte abraço Eloah

    ResponderExcluir
  36. Lúciamiga

    Dois dias e meio fora de Lisboa e tu - pimba1 Modinha deliciosa, devia ser um encanto cantada por teu Pai e tua Mãe.

    Os cadernos são uma verdadeira relíquia e ideia do CD é esplêndida; mas, deixo-te uma sugestão, nada mais do que isso mesmo: porque não um DVD, cantado pela tua sobrinha e com as imagens que nos vens transmitindo.

    Naturalmente tratadas, recuperadas, retocadas, enquadradas em fundos diversos e muito coloridos, com postais da época - deves ter muitos e fotos antigas. É,apenas, uma ideia.

    Abçs aos homis, xeros da Goesa e qjs de cabra para tu

    ResponderExcluir
  37. Muito lindo!

    Tem vários sorteios novos lá no blog,gostaria de convidá-la.

    Bjo Bjo

    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  38. Olá,

    Vim agradecer a visita e conhecer o seu espaço.

    Que lindo! A homenagem aos seus pais, a letra da música, a sua idéia de manter viva as memórias de sua família!

    Isso è maravilhoso!

    Cresci num ambiente de muita música e hoje sei que isto fez toda diferença em minha vida!

    Abraços e boa semana

    ResponderExcluir
  39. Olá Lucia,
    Que beleza este acervo musical e poético que, com tanto amor tu guardas. Fiquei encantada com tudo isto.
    É um verdadeiro tesouro, não? Sabes, sou fascinada por
    fotos ou letras de músicas antigas. Por isso, sei valorizar um material desta natureza. Adorei seu blog e vou continuar a visitar-te. Já estou, portanto, seguindo-te.
    Venha conhecer meu recanto virtual e, se gostar, de-me o prazer de deixar registrada sua presença. Vou adorar vê-la por lá.
    Um grande beijo,
    Maria Paraguassu.

    ResponderExcluir
  40. Olinda, querida
    Sempre soube dessa fraternidade entre portugueses e brasileiros, no entanto, agora ela se fortalece mais e podemos constatar em tempo real mas, ironicamente, por via virtual. Isso, é muito bom!
    Veja, quantas semelhanças nos costumes da vida familiar...até parece que vivíamos numa mesma cidade.Que lindo, com a viola e o assobio, seu pai se complementava com a sua mãe, que tinha a bela voz.
    Como vale,recordar tudo isso, amiga!

    Obrigada, pela ternura...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  41. É verdade, Eloah, essas recordações
    dão o verdadeiro sentido à vida. São
    lembranças que devemos preservar e
    passar às novas gerações, para os laços
    familiares se fortalecerem. É importante!
    Obrigada, beijos

    ResponderExcluir
  42. Ferreiamigo
    Agradeço, os elogios e a excelente dica para um
    DVD. Acontece, meu caro, que um CD "cabe" mais
    no meu salário de "prefessora" + a ajuda de um
    um irmão, também "prefessor" hehe. Vê se cava
    um MECENAS luso, pra patrocinar o DVD !
    Brincadeirinha! Vou fazer um Sr. projeCto e mandar pro Edital da SECULT, quem sabe, será aprovaDÍSSIMO?

    Valeu, Portuga!
    Xêros na Kel e nim Tu

    ResponderExcluir
  43. Palavras
    Obrigada...que bom que temos afinidades!
    Não foi à toa, que visitei seu Palavras.
    Onde há "Palavras", eu me estabeleço rsrs...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  44. Olá, Maria Paraguassu
    Obrigada,pelas elogiosas palavras
    Que bom, que você gosta do que registro,
    chegando a lhe encantar. Esse acervo, da
    minha memória e o material, são mesmo uma
    relíquia. Preservo-o com imenso carinho...
    Irei visitar seu blog.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  45. Olá meu amor!

    Venho deixar o meu beijo e desejar a você um ótimo inicio de semana!

    Estou esperando por você no Alma!

    ResponderExcluir
  46. Querida amiga
    Descobri que hoje o blogger me deixa comentar... :)
    Por isso fui repescar o email que lhe mandei ontem (não sei se vc já o viu...)e vou colar aqui o comentário que fiz ontem.
    Um beijinho, querida.

    "
    Olá, Lúcia

    Gostei muito desta "canção dueto".

    Lembro-me de que quando eu era bem pequena lá em casa, às vezes, cantava-se em coro, ao serão, e havia, pelo menos uma canção, que me lembre... cantada em dueto, que era muito bonita... Talvez um dia escreva um post a propósito...

    Começava assim:

    Moça - Deus te salve, Margarida, minha vida

    Moço - Cavalheiro, ao seu dispor.

    etc., etc., etc...



    Obrigada pelas boas-vindas.



    Uma semana feliz. Beijinhos



    PS - VOU TER QUE COMENTAR COMO ANÓNIMA. NÃO PERCEBO PORQUÊ, NESTE TIPO DE COMENTÁRIOS O BLOGGER NÃO ME DEIXA COMENTAR DOUTRA FORMA. SÓ NOS COMENTÁRIOS DO TIPO QUE EU USO.



    AGORA VEJO QUE AQUI NÃO SÕ PERMITIDOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS... PIOR AINDA! VOU MANDAR POR EMAIL.

    ResponderExcluir
  47. Nem sei o que dizer, mas amei muito. Beijos

    ResponderExcluir
  48. DEUS ILUMINOU OS SEUS PAIS DE FORMA TÃO GRANDIOSA QUE ATÉ HOJE FAZEM SUCESSO! PARABÉÉÉÉÉNS!!!
    ESTOU ENCANTADA...!!!
    ESSA SUA POSTAGEM ME FEZ LEMBRAR DA MÚSICA DE FRANCISCO PETRÔNIO, "COISAS QUE NÃO VOLTAM MAIS" QUE MEUS PAIS CANTAVAM...
    BEIJOS E FIQUE COM DEUS.

    ResponderExcluir
  49. Enquanto estava lendo, ia pensando q seria interessante gravar, quando vc mesmo disse isso.É um valioso acervo cultural. Vc deveria providenciar de gravar essas canções. Muita paz!

    ResponderExcluir
  50. Olá, Vinícius,
    vou já lá, ler seus lindos poemas.
    Beijinho,

    ResponderExcluir
  51. Mariazita, qurida, quanta confusão esse blogger
    nos apronta!Ainda não abri o email...
    Obrigada, pelas belas palavras. Essas cantigas
    em dueto, são mesmo deliciosas. Interessante, essa da Margarida, vou dizer à minha irmã Margarida rs.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  52. Obrigada, Entrevidas, são letras para
    amar, mesmo!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  53. Boa referência,as músicas cantadas por
    Francisco Petrônio.Mamãe cantava muito
    a Ave Maria, que ele gravou. Muito bom
    recordar, não é?
    Obrigada, beijinhos

    ResponderExcluir
  54. É, Denise, estão entre os meus projetos,
    gravar em CD, e/ou DVD essas relíquias musicais.
    Grata, pelo carinho.
    Beijos!
    Muita paz!

    ResponderExcluir
  55. Lucia,

    Que coisa mais linda! Adorei a modinha, é tão romântica!
    Quão bonita é a história de seus pais.

    Excelente post, amiga!
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  56. Socorro, também acho lindo, adoro
    recordar a linda história de meus pais,
    numa terna saudade.
    Obrigada, amiga.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  57. Bom dia Lucia, seu carinho é maravilhoso,bjks

    ResponderExcluir
  58. Bom dia amiga
    Me desculpe pelo selencio, mas tenho andado um pouquinho ocupada com o meu novo trabalho literário.
    Lhe desejo tudo de bom !
    Obrigada pelo seu carinho e sua linda presença no meu cantinho
    Abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  59. Lucia
    O google voltou. Eu não entendo este computador.
    Enviei duas fotos , não me lembro de ter mandado os dos sobrinhos e cunhadas.
    Depois voce me diz.
    com carinho Monica

    ResponderExcluir
  60. Olá Lúcia,

    As minhas férias ja acabaram...
    Também me lembro das canções que cantava com o meu pai. Agora com quase 93 anos, a sua voz tornou-se rouca mas lembraste-me que vou tentar fazê-lo cantar quando estiver com ele durante a próxima semana em que viajo para a Bélgica onde não voltei mais depois do falecimento da minha mãe.
    Não, minha querida, as pedras vão continuar no meu caminho e vou ter que continuar a enfrentá-las...e voltar para aí sem ver as 2 pessoas queridas que faleceram vai ser muito difícil mas não posso recuar, tenho que ir em frente !

    Beijinhos
    Verdinha

    ResponderExcluir
  61. Oi, Lo, carino por pai e mãe
    é sagrado, você sabe!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  62. Que bom, Moniquinha...
    Só vi uma foto, ontem,vc, duas manas e a mamã.
    Hoje, ainda não abri email...vou já lá>>>
    Bijinhos

    ResponderExcluir
  63. Oi, Verdinha
    É que demorei a ir ao seu blog, fui hoje, com
    você já de volta rs... Que maravilha, seu pai já
    com 93 anos. Tenho uma gravação com meu pai cantando, em fita K7...antiguinha rs
    É importante, que grave a voz de seu pai.
    Quanto às perdas, há de aceitá-las, melhora com
    o passar dos dias...a Dor!
    Beijinhos, amiga

    ResponderExcluir
  64. Minha Querida Lúcia:
    Muito obrigada por me visitar sempre com palavras tão carinhosas e enternecedoras.
    CONTINUO A ACHAR AS SUAS POSTAGENS UMA DELÍCIA. DESDE LOGO O TÍTULO "PAPAI CANTAVA" deixa-nos maravilhados pela carga de emoção e amor que a Lúcia nele depositou. A mim emocionou-me logo essa frase, um tesouro. Tem uma carga tão poética e doce de saudade, de regresso ao passado... Toca-nos o coração sobremaneira.
    Um abraço com toda a minha Amizade.

    ResponderExcluir
  65. Lúcia não sei nem por onde começar a comentar.
    Citastes grandes nomes, dos quais sei bem que conheço alguns e os que não conheço espero apreciar.
    Essa "modinha" é linda, romântica e despertou a minha curiosidade em ler mais.
    Ah, e a voz da sobrinha também me deixou na curiosidade.
    Lindo, lindo, lindo esse post.
    Uma história, uma relíquia.
    Xeros

    ResponderExcluir
  66. Lúcia querida,vendo o comentário de Mariazita me recordei de quando criança,em Minas,cantávamos:
    "-Onde está a Margarida,olê,olê,olá..."

    Deves conhecer também,não?

    Bjsssss e um carinho,
    Leninha

    ResponderExcluir
  67. Isabel, minha querida, saiba que por você tenho
    muito carinho e grande admiração,pela suas ternas palavras e pelo valor dos seus escritos.
    O título, PAPAI CANTAVA, brotou espontaneamente da alma, pelo extremoso pai que era...O amor filial,há de corresponder ao paternal e ao maternal. Minha saudade, é uma saudade feliz.

    Obrigada, amiga, muito me emocionou seu comentário.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  68. Oi, Ana Karla

    Não sei quanto tempo vai demorar, mas espero ter
    condições para realizar meu projeto de gravação dessas músicas e divulgá-las. No momento só posso passar as letras e o contexto, em que eram cantadas.Minha sobrinha gravou CD, mas de forma independente, divulgado só aqui, em Fortaleza.

    Obrigada, amiga.
    Xêros

    ResponderExcluir
  69. Olá, Leninha
    Claro que conheço "Onde está a Margarida"!
    Das cantigas de roda, era a mais cantada, até porque tenho uma irmã Maragarida rsrs...

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  70. Lúcia, querida! Saudades...
    Vir até aqui é um grande "problema"... Chegar é fácil. Difícil é sair. Não pense que sumi daqui. Li suas coisas sem conseguir no entanto comentar. Estava lendo dia desses sobre a Nau Catarineta, embarquei nela e aportei em terras distantes banhadas pelos mares de minha vida. Foi uma viagem tão longa e intensa que acabei não voltando pra comentar. Para falar a verdade, nem era consciênte do tamanho da influência dessa Nau em minha vida. Isso aqui acaba virando um divã,rsrsrsr
    Esses cadernos precisam ser preservados a todo custo... Certamente tem registros de alma e coração.
    Vc imagina um filme com toda essa sua história? Seria alguma coisa maravilhosa como "Os Pioneiros" baseado nos livros de Laura Ingalls Wilder... Pode ter certeza que eu estaria sentadinha assistindo tudo com olhos vidrados e sem me mexer.
    Salve a existência da blogosfera, que permite o meu acesso aos seus contares!
    Vou sair por aí a bailar com as cantigas de Dona Mazé e Seu Paivinha, que de certo estão a cantar lá de cima. No barulho do silêncio, consigo ouvir ao longe a voz de quem nunca conheci. Minha imaginação me permite ir onde quer que eu queira e agora estou em um sarau com os dois, viu?
    Agora me diga, como passar aqui rapidinho?
    Bjks musicais
    Renata http://cercaviva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  71. Guidinha, amadamiga, que falta você me fez, com esses comentários que deixam o ego da gente lá em riba rsrsr. Que comparação! assim, o Ego vai é lá pro infinito. Conheço a saga da família Ingalls, a Laura foi um escritora extraordinária. Sabe que um fato interessante, na biografia dela? Ela casou-se de de vestido preto (não sei a razão)e minha avó paterna, Rosa, também.Papai dizia que era porque o vovô, seu tio, com que casou-se, era viúvo. Tenho foto dela, com o tal vestido preto...
    Querida, eu bem que gostaria de transformar,a história de mina família num filme...que sabe, um dia!

    Obrigada, pelo carinho.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  72. A minha 1ª visita a este gentil blog!

    As minhas cordiais saudações!

    ResponderExcluir
  73. Que venha mais visitas, Vieira Calado.
    Obrigada, pelas palavras e
    pelas "cordiais saudações"
    Seja bem-vindo, com um abraço...
    Da Lúcia

    ResponderExcluir